• Sustentabilidade

    Sexta-Feira, 24 de Março de 2017

    Madri não é apenas a capital espanhola, ela é também uma das maiores cidades europeias. Com mais de 3 milhões de habitantes, o município enfrenta muitos problemas comuns às metrópoles, como o trânsito e a falta de qualidade de área verde disponível aos moradores.

    Para resolver parcialmente este problema, a prefeitura local tem investido em soluções voltadas às pessoas e não apenas aos carros. Uma das grandes apostas foi a substituição da avenida na marginal do rio Manzanares por um parque linear.

    A estrada, que antes transportara milhares de carros e possuía estruturas para mais de mil vagas de estacionamento subterrâneo, se transformou em uma enorme área de convivência, lazer e de resgate da biodiversidade local e da qualidade de vida dos moradores da região.

    Assinado pelos arquitetos Gines Garrido e Adriaan Geuze, o parque linear foi apelidado de Madrid Río. O espaço concentra diversas opções de lazer e soluções que facilitam o deslocamento dos habitantes. Por ter 42 quilômetros de extensão, ele conecta vários bairros.

    Suas ciclovias e pistas de caminhada, cercadas por árvores e pelo próprio rio, permitem que as pessoas passeiem ou se desloquem entre os bairros com segurança. O parque ainda possui dezenas de estações de metrô e trem, que o conectam aos bairros mais periféricos.

    O projeto trocou os mais de 200 mil carros que trafegavam pela avenida diariamente por 11 novas áreas de lazer infantis, 6 áreas de lazer para jovens e adultos, 30km de ciclovias, 253 mil metros quadrados de áreas livres, que podem ser usadas para práticas esportivas diversas, 33 mil novas árvores e 429 hectares de zonas verdes.

    A enorme área ao ar livre pode ser usada para o lazer e para eventos culturais. Mas, a prefeitura também pretende transformar antigas estruturas nos arredores dos parques em centros culturas para exposições e aulas de dança e música.

    O projeto foi idealizado pela prefeitura de Madri em 2007 e em 2011 já estava completamente finalizado. O que antes era apenas uma via exclusiva para o tráfego de veículos poluentes, hoje é um espaço que agrega vida e valo à cidade.

    Fonte: http://ciclovivo.com.br

    (0) Comentar
  • Revestimentos

    Quinta-Feira, 23 de Março de 2017

    A busca pela ESTÉTICA mais bela, em diferentes regiões do planeta, é a principal inspiração da Cerâmica PORTINARI para muitas de suas coleções. O resultado são peças exclusivas que transcendem a poesia e surpreendem pela capacidade de encantar.

     

    TORONTO: Toronto dá um show de arquitetura, com seus arranha-céus e construções futuristas. A prefeitura da cidade é uma atração à parte. Foi construída em 1965 e exibe duas torres em curvas, uma com 100 metros e outra com 80 metros. Ela fica na Praça Nathan Philips Square, que conta com um lago coberto por arcos de concreto, que serve de espaço para eventos culturais e festivos.

    O design contemporâneo de Toronto inspirou essa coleção de porcelanato que reproduz um concreto bem movimentado e destonalizado. Para ambientes à frente do seu tempo.

     

    ARTOIS: Essa coleção buscou inspiração na nobre região francesa de Artois, localizada no norte da França, que um rápido crescimento industrial durante o século XIX, abastecido por suas ricas reservas de carvão, tendo a extração de minérios como uma das forças principais.

    Para representar essa história, a Coleção Artois apresenta um porcelanato inspirado em uma rocha sedimentar escura, tão imponente quanto a região norte da França. Para ambientes notáveis.

     

    BELLA VITA: Um caso de amor que nasceu no século XX nas estações de metrô de Nova York: os azulejos retangulares, revestindo as paredes das estações. Os “azulejos de metrô” se popularizaram e foram para as estações da Europa em seguida. O brilho, a praticidade e o acabamento bisotado conquistaram a população, que logo levou essa peça para uso dentro de casa.

    Essa coleção apresenta uma releitura desses azulejos, em doze cores modernas que podem ser aplicadas de diferentes maneiras. Para trazer vida e elegância aos ambientes.

    Venha até a Aldeia e encante-se com as coleções da Cerâmica Portinari!

    Fonte: Cerâmica Portinari

    (0) Comentar
  • Arquitetura

    Sexta-Feira, 17 de Março de 2017

    Um dos pontos turísticos italianos mais movimentados, a Arena de Verona passará por uma reforma que proporcionará maior versatilidade para a mesma.

    O anfiteatro romano recebe todo ano milhões de visitantes do mundo todo para assistir às óperas e apresentações de dança ou teatro que tomam conta de seu palco. Contudo, pela estrutura histórica nunca ter se reinventado, algumas performances acabaram prejudicadas por condições climáticas ruins.

    Pensando no bem-estar de todos presentes, o escritório de arquitetura alemão GMP Architekten desenvolveu uma estrutura retrátil como teto opcional para a arena. O projeto participou de uma competição internacional com outros 87 escritórios para então ser selecionado pela comissão italiana como o ideal.

    A nova cobertura é versátil e não interfere em nada na construção original, apenas adiciona a ela a nova função de proteção aos visitantes, evitando desconfortos causados pela chuva, ventos fortes ou até sol excessivo.

    O teto, construído em parceria com os engenheiros da SBP (Schlaich, Bergermann & Partners), será feito de uma única camada de tecido, que cobre 12 mil m² de extensão e se reserva de um lado da Arena de Verona.

    A parte inovadora fica por conta dos cabos de sustentação, que partem de um anel de compressão e são envoltos pelo tecido, escondendo qualquer resquício da estrutura. Além de prático e funcional, o novo adereço deixará a arena ainda mais bonita.

    Fonte: http://casavogue.globo.com

    (0) Comentar
  • Revestimentos

    Quinta-Feira, 16 de Março de 2017

    Com inspiração nos tradicionais desenhos do LADRILHO HIDRÁULICO, a BAEPI, criada em 2008, se tornou referência no mercado brasileiro quando o assunto é cerâmica hidráulica.

    Dos desenhos tradicionais e coloniais aos modernos e geométricos, os revestimentos Baepi VALORIZAM ambientes externos e internos seja em projetos residenciais ou corporativos.

    A marca oferece também a PERSONALIZAÇÃO das peças, possibilitando a escolha das cores dos desenhos de acordo com o gosto e a necessidade do cliente.

    Além de serem diferenciados, personalizados e EXCLUSIVOS, os produtos Baepi possuem uma baixa manutenção, o que possibilita sua aplicação nos mais variados ambientes como banheiros, cozinhas, espaços gourmet, halls, bares e outros.

    Venha até a Aldeia e conheça mais sobre os produtos Baepi!

    (0) Comentar
  • Sustentabilidade

    Segunda-Feira, 13 de Março de 2017

    Projetada pelos arquitetos Márcio Kogan e Lair Reis, do Studio mk27, a “Casa Modernista Caipira” da Fazenda Catuçaba estabelece uma forte relação com a natureza local, seus ventos, chuvas e o sol que é abundante durante a maior parte do tempo.

    Estes são os elementos que permitem a autonomia da casa na geração de energia, tornando-a autossustentável.

    Aliada a um design que aumente a eficiência do consumo, essa autonomia configura a principal premissa da concepção.

    A integração da casa no contexto natural, o conforto do usuário e a simplicidade aliada à beleza e ao contato com a natureza visam proporcionar uma experiência de vida inspiradora.

    A Casa Modernista recebeu menção honrosa na categoria de Projetos Residenciais, no World Architecture Festival 2013, em Singapura, o maior concurso de arquitetura do mundo.

    Grandes admiradores da geração do modernismo brasileiro, os arquitetos do Studio mk27procuram cumprir a tarefa de repensar e dar continuidade a este icônico movimento arquitetônico.

    Seus projetos valorizam a simplicidade formal e são elaborados com especial atenção aos detalhes e acabamentos.

    Fonte: http://www.casasdecatucaba.com.br

    (0) Comentar
  • Arquitetura

    Sexta-Feira, 03 de Março de 2017

    A ciclovia suspensa mais longa do mundo foi inaugurada em janeiro na província de Xiamen, na China. Todo o conceito do projeto foi desenvolvido há cerca de oito anos por estudantes do ensino médio no concurso anual de Ciência e Tecnologia da Juventude da cidade de Xiamen.

    A ciclovia aérea, que está em fase de testes, oferece uma opção de viagem alternativa na cidade para reduzir o tráfego e a poluição do ar.

    O trajeto elevado é de quase 8 km e corre abaixo do sistema elevado de BRT (Bus Rapid Transit) já existente na cidade. Ela possui 11 saídas para estações de metrô e ônibus. As bicicletas podem ser alugadas e devolvidas em diversos locais em toda a cidade.

    A pista tem capacidade para atender até 2.000 bicicletas por hora e tem um limite de velocidade máximo de 24 km/h. Os portões de acesso à ciclovia fecham automaticamente quando ela atinge sua capacidade total. A parte mais alta do percurso fica a quase 5 metros do chão. As pesquisas adiantadas da nova estrutura na cidade são positivas.

    Um empreendimento similar é o Cykelslangen, ou Cycle Snake, uma pista de bicicleta elevada em Copenhague.

    Fonte: http://ciclovivo.com.br

    (0) Comentar
  • Sustentabilidade

    Sexta-Feira, 24 de Fevereiro de 2017

    Ousado para alguns, necessários para outros. O escritório GAD Architecture assina umavila sustentável localizada em Antalya, Turquia. O projeto contempla uma área de 33 mil m², sendo 28 mil m² de construção, com cerca de 100 casas residenciais.

    Com o AHK KNDU Villao escritório de arquitetura sustentável pretende mostrar a importância da vertente para a melhoria da vida privada e coletiva.

    Longe de ser um condomínio, a área almeja a interatividade entre os vizinhos, com jardins coletivos, produção de energia através dos painéis solares nos tetos das casas e luz natural em todos os cômodos. Para garantir a eficiência dos dois últimos tópicos, o GAD orientou as casas de acordo com o caminho solar.

    O desenho das casas, com tetos irregulares, é proposital. O vão entre uma parte e outra otimiza a entrada de ar, ventilando o interior da maneira mais orgânica possível, sem a necessidade de ar condicionado.

    Outro ponto forte é o revestimento de vigas de madeira, que agem como uma verdadeira concha, capaz de controlar as variações climáticas da casa durante a noite e, entre as frestas, convidar a luz do dia para todos os detalhes interiores. O vidro das janelas que percorrem todo o pé direito da construção também fazem a função de conectar o exterior com o interior.

    A parte sul das casas direciona os moradores para jardins comunitários, onde todos podem praticar atividades físicas, cultivo de plantas, tomar café da manhã ou simplesmente descansar na companhia de outras pessoas.

    O estímulo para a atividade social visa a noção do ser humano em pensar coletivamente e não só individualmente. Um verdadeiro projeto sustentável!

    Fonte: http://casavogue.globo.com

    (0) Comentar
  • Arquitetura

    Segunda-Feira, 20 de Fevereiro de 2017

    Projetado por Zaha Hadid antes de sua morte em março de 2016, o gigantesco e ousado Leeza SOHO é o último dos quatro empreendimentos desenvolvidos pelo escritório da arquiteta iraquiana em parceria com a construtora chinesa SOHO China, dois dos quais feitos em Pequim.

    Localizado no Lize Financial Business District – um novo centro empresarial e residencial no sudoeste da cidade – o complexo deve ficar pronto no final de 2018, quando deve alcançar os 46 andares que vão abrigar diversos escritórios e lojas.

    Em setembro deste ano a torre já terá alcançado sua altura total, 207 metros, e ficará pronta a estrutura do que tem tudo para ser o átrio retorcido mais alto do mundo, desbancando o Burj Khalifa, conhecido arranha-céu que se tronou um dos símbolos da cidade de Dubai.

    O átrio é o centro das duas metades da torre chinesa, que é diagonalmente dividida por um metrô. No andar mais baixo do edifício foi aberto um grande pátio que, claro, se conecta com as duas torres e também com saída do metrô e com o acesso à praça pública que cerca o edifício.

    Os dois lados da torre são envelopados por uma grande fachada de vidro, formando um só edifício. Com isolamento duplo, cada uma das placas que cobre a fachada é estrategicamente colocada para formar ângulos que ajudem a manter a incidência de luz e a ventilação, equilibrando a temperatura interna.

    Na parte de dentro, por sua vez, foram feitas passarelas distribuídas nos vários níveis da torre permitindo o fluxo de pessoas pelas duas metades do edifício e a contemplação de diferentes vistas da cidade.

    No projeto ainda estão previstos espaços para estacionar 2.680 bicicletas, com armários e chuveiros para quem precisar se trocar após o percurso, e estacionamentos no subsolo com espaços de recarga dedicados para carros elétricos ou híbridos.

    Fonte: http://casavogue.globo.com

    (0) Comentar
  • Dica

    Sexta-Feira, 17 de Fevereiro de 2017

    Aos entusiastas da arquitetura, a aclamada Harvard tem uma notícia que fará de 2017 uma oportunidade incrível. Isso porque a universidade americana abriu um curso online de arquitetura sem custos para falar da importância da atividade como expressão cultural, para além da realização técnica.

    O “The Architectural Imagination” será ministrado por Antoine Picon, Erika Naginski, K. Michael Hays e Lisa Haber-Thomson, e faz parte da parceria acadêmica online, fundada em 2012, entre Harvard e o MIT.

    Assim como descrito no próprio programa da universidade americana, a “arquitetura é uma das práticas culturais mais complexas e tem como forma de expressão o material e as suas possíveis formas”. Ao longo dos 10 módulos, os mestres abordarão os exemplos mais importantes da história da arquitetura e como esses se tornaram fonte de engajamento sociocultural.

    A primeira parte do “The Architectural Imagination” trará aos alunos a ideia da arquitetura como imaginação, como aptidão que media a experiência sensorial e a compreensão conceitual. Já a segunda parte será mais focada no auxílio que a tecnologia propõe tanto para a realização dos projetos quanto para o seu entendimento.

    Com início no dia 28 de fevereiro, o curso de 10 semanas, com esforço pessoal de 3 a 5 horas para cada atividade, não tem custo para a participação, apenas para a garantia do certificado (por US$ 99). Não deixe de se inscrever no The Architectural Imagination e bons estudos!

    Fonte: http://casavogue.globo.com

    (0) Comentar
  • Arquitetura

    Segunda-Feira, 13 de Fevereiro de 2017

    O prédio que fica na Richelieu, número 58, em Paris, é o berço histórico da Biblioteca Nacional da França e acaba de ser reaberto ao público. O edifício passou por anos de obras em busca de melhorias e renovações que o adaptassem às exigências do século XXI.

    Comandadas desde 2011 pelos arquitetos Bruno Gaudin e Virginie Brégal, as obras só serão concluídas em 2020, pois para manter a biblioteca aberta, o projeto foi dividido em duas fases.

    Hoje o complexo abriga salas de leitura e coleções de manuscritos, mapas, moedas, medalhas e antiguidades, além do escritório de artes cênicas e da biblioteca nacional de artes francesa.

    Para definir como seriam feitas as intervenções e a restauração os arquitetos fizeram uma série de estudos históricos e estruturais até que chegassem em acordo sobre o estilo que seria adotado para estabelecer diálogos entre arquitetura do local e história que ele abriga.

    A primeira mudança foi a reorganização do fluxo de visitantes:uma nova distribuição foi pensada para facilitar o acesso às coleções. Também foram feitas escadas e instalados elevadores nas áreas intermediárias, para não perturbar a unidade da construção e uma passarela de vidro que liga por fora alguns dos ambientes.

    O acervo central também passou por alterações. Bruno Gaudin começou retirando parte das modificações que foram feitas ao longo do tempo - como elevadores e revestimento - o que permitiu expor, por exemplo, os metais colocados na estrutura na década de 30 e 50. Materiais como alumínio, aço e LED foram usados para destacar a história do acervo.

    A “salle labrouste”, considerada um patrimônio histórico da França, ganhou atenção especial e foi renovada com o auxílio de Jean François Lagneau, arquiteto-chefe do Conselho internacional de Monumento Históricos. O maior desafio foi restaurar as cores vibrantes originais da imponente sala capaz de abrigar cerca de 400 assentos.

    Segundo o site da instituição, as coleções da Biblioteca Nacional Francesa incluem cerca de 14 milhões de livros e revistas, além de manuscritos, gravuras, fotografias, mapas, partituras e assim por diante. Estima-se ainda que mais de um milhão de visitantes descobrem a biblioteca a cada ano.

    Fonte: http://casavogue.globo.com

    (0) Comentar
  • Posts anteriores
  • Loja Goiânia

    (62) 3093 1717

    Newsletter

    Para receber as novidades da Aldeia, cadastre seu e-mail aqui: