• Pisos

    Terça-Feira, 30 de Agosto de 2016

    Com referência na estética CLÁSSICA, no design CONTEMPORÂNEO e em elementos da NATUREZA, a CERÂMICA PORTINARI traz novas propostas exclusivas em porcelanatos esmaltados polidos. Inspirados em mármores, cimentos e pedras naturais, e diferentes opções de acabamento, os lançamentos agregam SOFISTICAÇÃO e BEM-ESTAR de forma singular aos ambientes, com peças que imprimem estilo e personalidade aos projetos.

    A ideia é oferecer soluções customizadas, com maior unidade visual e mais possibilidades de integrar e decorar o seu espaço. Além da beleza estética, as vantagens dos produtos com brilho são outro diferencial marcante desta coleção: sensação de amplitude, design diferenciado, tendência atemporal, aplicação em chão e parede, praticidade na limpeza e manutenção.

     

    Duomo

    A imponência do Duomo de Milão é representada nas peças desta coleção. As particularidades dos mármores nobres são reinterpretadas neste porcelanato com alto brilho. As linhas desenham formas que correm em veios irregulares conforme a peculiaridade de cada pedra; esses veios interagem com as cores e transparências na superfície, tornando esta coleção ideal para ambientes altivos que prezam por REQUINTE.

     

    Emporium

    A pedra limestone é admirada por sua beleza natural e design delicado, atributos que a tornaram a pedra mais desejada nos antigos empórios. Por isso seu uso na arquitetura contemporânea se tornou símbolo de ELEGÂNCIA. Essa foi a inspiração para a coleção Emporium, que reproduz as partes mais suaves da pedra limestone no porcelanato. O tom neutro e o brilho da textura polida conferem a delicadeza e o requinte do limestone aos ambientes atuais.

     

    Travertino Snow

    Inspirada nas pedras clássicas, essa coleção ganha novo formato – 90x90cm. Esse produto é inspirado na pedra travertino e sua superfície apresenta os veios marcantes característicos da pedra. O design da pedra travertino em tom SUAVE aliado com o brilho intenso da superfície polida tornam esse produto ideal para ambientes que prezam por requinte.

     

    Harmony

    Essa coleção é inspirada em modernos mármores que se harmonizam com os mais diferentes estilos de projetos. Com características bem peculiares esse mármore é desejado em todo o mundo devido à sua perfeição estética. Para complementar essa coleção é lançado o novo formato 90x90cm. A superfície é polida e reproduz veios fortes, marcantes e bem aleatórios tornando o produto um diferencial entre os mármores, causando a sensação de movimento e proporcionando ambientes SOFISTICADOS.

     

    FONTE: http://ceramicaportinari.com.br

     

    (0) Comentar
  • Arquitetura

    Segunda-Feira, 29 de Agosto de 2016

    O filósofo Alain de Botton é autor de vários best-sellers que transformam a filosofia em uma visão aproximada da vida contemporânea. Entre eles, o livro “Arquitetura da Felicidade” fez sucesso ao lado do documentário homônimo, pois nos leva a pensar sobre como as casas contemporâneas podem proporcionar uma vivência mais interessante.

    Para Botton, no entanto, não basta falar ou escrever. Sua reflexão sobre o morar rendeu um fruto concreto: no projeto “Living Architecture” ele põe em prática seu discurso.

    Ao lado de arquitetos, criou lugares incríveis que podem ser habitados por alguns dias e provar sua teoria de que uma residência pode transformar seu estado de espírito. A casa “Balancing Barn” – em tradução literal, Celeiro em Balanço – é uma delas.

    Localizada em um vale preservado pela Fundação Suffolk Wildlife Trust, na Inglaterra, a casa ocupa uma área onde antes havia bangalôs, celeiros e construções abandonadas. O Living Architecture renovou o entorno, mantendo e resgatando a flora e a fauna originais.

    Depois convidou o escritório holandês de arquitetura MVRDV, reconhecido pelo design inteligente, sensível e divertido, para sugerir que tipo de moradas poderiam ser erguidas ali.

    O terreno repleto de desníveis inspirou a criação da Balancing Barn, uma construção de 30 metros de largura, que tem sua metade em balanço.

    Nos interiores, a madeira clara reveste até as vigas de aço. A cozinha e sala de jantar levam a um longo corredor que se estende aos quatro quartos. No outro extremo, uma grande sala de estar com janelas enormes levam a um mergulho na paisagem.

    Uma porta camuflada no living revela a escada de acesso ao jardim, onde há um balanço para as crianças desafiarem o peso da casa. As ruínas originais do lugar estão expostas, para não apagar sua memória.

    O revestimento externo de aço inoxidável polido torna o visual leve, ao refletir a luz do sol, e mimetiza o volume na natureza. Reflexões podem vir aos montes, e é o que o filósofo tinha em mente para quem passar alguns dias abrindo as janelas da casa.

    Fonte: http://casavogue.globo.com

    (0) Comentar
  • Sustentabilidade

    Sexta-Feira, 26 de Agosto de 2016

    E se uma construção feita com garrafas pet fosse reconhecida com um selo ambiental? Foi o que aconteceu com o edifício Ecoark, que alcançou a certificação LEED Platinum, o nível mais alto do selo americano.

    O Ecoark é um pavilhão construído de acordo com o conceito dos 3 Rs – Reduzir, Reutilizar e Reciclar. Utilizando tijolo feito com garrafas pet, tem a metade do peso de um edifício convencional, com o diferencial de resistir a fenômenos da natureza como terremotos e furacões.

    Inaugurado em 2010 em Taipei, Taiwan, o Ecoark foi projetado pelo arquiteto Arthur Huang, diretor da empresa Miniwiz – Sustainable Energy Development. O edifício ocupa uma área de 2.186 metros quadrados e foi construído com 1,5 milhão de tijolos em forma de garrafa feitos de garrafas pet recicladas.

    Possui anfiteatro, salão de exposições e espaço para museu distribuídos em três pavimentos, equivalentes a nove andares. A estrutura com 28 metros de altura é completamente desmontável, permitindo-se desmontá-la para montar em outro local.

    Mais conhecidos como Polli-Bricks, estes tijolos de garrafas pet foram moldados permitindo um perfeito encaixe das células, o chamado Brick-Cell. A estrutura modulada em forma de colmeia é presa por uma malha metálica e uma peça de acrílico revestida de uma substância não inflamável para proteger os Polli-Bricks do fogo e das tempestades.

    As garrafas PET foram deixadas vazias, pois Huang acredita que o ar é o melhor isolamento térmico, deixa passar a luz, reduzindo a utilização de iluminação artificial.

    O Ecoark recebeu a certificação LEED Platinum, concedida no Brasil pelo Green Building Council Brasil. Além do critério de sustentabilidade na reutilização de garrafas pet, o edifício também utiliza água da chuva em seu sistema de resfriamento, além de contar com placas solares para abastecimento da iluminação LED nas fachadas.

    Fonte: Sustentarqui

    (0) Comentar
  • Revestimentos

    Terça-Feira, 23 de Agosto de 2016

    Destaque no mercado quando o assunto é confecção artesanal de MOSAICOS em madeira certificada, a OCA BRASIL aliou-se à Valchromat, marca portuguesa que introduziu no mercado europeu a evolução do MDF, com painéis de fibras de madeira coloridas naturalmente e unidas entre si com resina especial. Este material passou a ser usado em aplicações nas áreas da arquitetura e design e está presente em todos os revestimentos da linha CONCRETA.

    Nada é mais concreto, mais REAL que uma linha, uma cor, uma superfície. A coleção Concreta traz em si a intenção de socializar e difundir o bom DESIGN, como fizeram os precursores do movimento concretista nas artes plásticas brasileiras do século passado.

    Munida de régua e compasso, a arte intervém na produção industrial MODERNA, a fim de que os objetos saídos dessa indústria sejam também obras de arte.

    Padrões diversos de mosaicos foram concebidos como ferramentas para que cada cliente seja o artista do seu próprio painel, mesclando formas GEOMÉTRICAS puras com a força das cores.

    Cores predominantes, secundárias e terciárias presentes em montagens regulares ou irregulares possibilitam a concretização de murais INÉDITOS.

    Com essa surpreendente coleção, a Oca Brasil traz soluções INOVADORAS em revestimentos para parede, fabricados a partir do uso responsável de matérias primas renováveis.

    Assim, na linguagem da arte, as formas geométricas perdem o caráter objetivo da geometria para se fazerem veículo da IMAGINAÇÃO.

    Venha até a Aldeia e deixe solte a sua imaginação com os produtos Oca Brasil!

    (0) Comentar
  • Sustentabilidade

    Segunda-Feira, 22 de Agosto de 2016

    Um jardim zoológico projetado para ser um novo ambiente de conservação, educação e pesquisa de espécies naturais: esta foi a proposta do projeto de arquitetura sustentável Adelaide Zoo, criado em 2010, na cidade de mesmo nome na Austrália.

    Para integrar a entrada da cidade com a do Zoológico foram construídos vários pátios interligados, criando uma transição natural e conexão física entre as estradas, parques e vias navegáveis, e dando acesso seguro a cafés e exposições ali realizados.

    Segundo o escritório de arquitetura responsável pelo projeto, todo o paisagismo foi pensado considerando-o como espaço público original para o povo australiano. O telhado verde funciona como uma cobertura ao abrigo dos animais selvagens, além de promover a intensificação da biodiversidade. Paredes vivas com plantas nativas também fazem parte deste ambiente.

    O projeto Adelaide Zoo atua como uma plataforma para a investigação em curso sobre o potencial de modelos alternativos de forma construída, para apoiar e promover ecologia urbana, gerir as águas pluviais e permitir um desempenho mais eficiente na geração de energia solar.

    Sobre a gestão da água, o projeto de arquitetura sustentável Adelaide Zoo incorpora uma série de iniciativas de conservação de água: tanques de concreto para captação de água de chuva; os chamados “jardins de chuva”, depressões baixas plantadas com plantas nativas que captam água de chuva por escoamento de superfícies pavimentadas, filtrando-a naturalmente e armazenando-a em tanque subterrâneo.

    Fonte: http://www.condominiosverdes.com.br

    (0) Comentar
  • Revestimentos

    Quinta-Feira, 18 de Agosto de 2016

    Um projeto amplo com vista para o Oceano Atlântico: assim é a casa de Daniela Mercury, que acaba de ser reformada, localizada em Salvador, na Bahia. Fã da decoração portuguesa, caracterizada pelos azulejos coloridos e marcantes, um dos destaques do projeto são os revestimentos DECORTILES, paginados em diferentes ambientes do projeto.

    Como uma típica casa praiana, os ambientes oferecem aconchego e tranquilidade, em um visual CLEAN e ELEGANTE que mescla toques de decoração COLONIAL e CONTEMPORÂNEA. Dentre os elementos com inspiração europeia, destaca-se o BLACK SEA 20x20 cm, presente em toda a fachada da varanda principal. Com mescla de tonalidades azul, verde, laranja e bege, as peças revelam a beleza da arte da azulejaria que ornamenta ao longo dos séculos monumentos e obras arquitetônicas.

    O design tradicional português também compõe o interior da casa. No estúdio de dança, a fachada é revestida pelo PATCHWORK BLUE 15x15 cm, revestimento que representa a diversidade decorativa dos pequenos azulejos. Na ampla suíte do casal, o destaque é a madeira, apresentada em móveis, piso e paredes, além do pé direito duplo, outra característica europeia. Tábuas pintadas e lixadas do material natural – aplicadas acima da cabeceira da cama – são retratadas no porcelanato ECOVILLA 20×120 cm, uma releitura do trabalho manual sob a matéria-prima, revelando as camadas da madeira.

    Nas áreas íntimas, o piso é revestido pelo ECOPÁTINA 20x120 cm. Inspirado no efeito artesanal da pátina sobre madeira nobre, o produto une o aconchego e calor dos tons naturais de marrom com a pureza e elegância do branco, em um design leve, atemporal e minimalista. Nas paredes úmidas, foram adotadas as pastilhas SICIS LIQUID 30x30 cm e SICIS VINTAGE 30x30 cm, em tons que variam do azul claro ao transparente e apresentam a beleza e luxo dos mosaicos de vidro.

    A influência portuguesa é marcante na suíte de visita, composta por piso e bancada em BLUE MEMORY 60 x 60 cm¸ porcelanato que homenageia ladrilhos e azulejos antigos, uma lembrança da cultura que resiste ao tempo e perduram vivos nos dias atuais.

    Na Aldeia você encontra esses e outros produtos Decortiles!

    Fonte: Decortiles.

    (0) Comentar
  • Revestimentos

    Quarta-Feira, 17 de Agosto de 2016

    Há mais de 20 anos a MOSARTE se destaca como referência em DESIGN, ganhando reconhecimento no mercado pela satisfação dos clientes e por meio de premiações internacionais. Com uma energia revigorante, está sempre empenhada em criar mais e inovar, na busca incessante pelo novo e pelo belo. Com coleções SURPREENDENTES e cheias de CHARME, as peças Mosarte enobrecem qualquer projeto!

    Decô Semplice Preto

    Com traços inspirados na Art Déco, principalmente nos grandes vitrais, esse produto é formado por um kit de duas peças que criam combinações DINÂMICAS que podem ser explorados em diversos ambientes, inclusive em divisórias e cabeceiras.

    Fabros Semplice Preto

    Fabros é um revestimento vazado com linhas ORGÂNICAS, formado por um módulo triangular. Seu desenho se origina a partir de círculos tangentes concordantes, que se encaixam de forma plástica e justa lembrando um sistema de engrenagens.

    Flip Semplice Preto

    O produto Flip possui um design MODERNO que combina dois hexágonos rotacionados. O kit é composto por duas peças vazadas que permitem a interação do produto com a superfície aplicada.

    Flow Semplice Preto

    O design dessa peça é inspirado em uma geometria CLÁSSICA, a árvore da vida. Essa peça cria um desenho contínuo e orgânico, permitindo diferentes paginações.

    Fonte: Mosarte.

    (0) Comentar
  • Arquitetura

    Segunda-Feira, 15 de Agosto de 2016

    Novo ícone da Região Portuária carioca, o Museu do Amanhã explora possibilidades de construção do futuro. Erguido no Porto Maravilha e projetado pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava sobre a Baía de Guanabara, foi inaugurado pela Prefeitura do Rio em dezembro de 2015.

    Âncora cultural do projeto de revitalização da Região Portuária, o museu é o símbolo mais eloquente do renascimento de uma área de cinco milhões de metros quadrados, parte da história do Rio e que enfrentava décadas de atraso e abandono.

    Ancorada no Píer Mauá e vizinha ao Museu de Arte do Rio (MAR), a estrutura do Museu do Amanhã já faz parte do novo cartão-postal do Rio e se tornou ícone das transformações pelas quais a cidade vem passando. Ali há o encontro entre ciência e arte, razão e emoção, linguagem e tecnologia, cultura e sociedade.

    O Museu do Amanhã conjuga o rigor da ciência e a linguagem expressiva da arte, tendo a tecnologia como suporte, em ambientes imersivos, instalações audiovisuais e jogos, criados a partir de estudos científicos desenvolvidos por especialistas e dados divulgados por instituições do mundo inteiro.

    Traz à cidade, pela primeira vez, o conceito de museu experiencial, no qual o conteúdo é apresentado de forma sensorial, interativa e conduzido por uma narrativa. O espaço examina o passado, apresenta tendências do presente e explora cenários possíveis para os próximos 50 anos a partir das perspectivas da sustentabilidade e da convivência.

    O edifício de formas orgânicas, inspiradas nas bromélias do Jardim Botânico, ocupa 15 mil metros quadrados e é cercado por espelhos d’água, jardim, ciclovia e espaço para lazer, numa área total de 34,6 mil metros quadrados. O museu tem ainda auditório com 400 lugares, loja, cafeteria e restaurante.

    Durante os Jogos Olímpicos o Museu do Amanhã terá funcionamento especial.

    Fonte: http://www.portomaravilha.com.br/museu_amanha

    (0) Comentar
  • Pisos

    Quinta-Feira, 11 de Agosto de 2016

    Na parte alta de uma pequena ilha, na Jurassic Coast, a 200 km de Londres, no Canal da Mancha, há uma PEDRA muito particular, a PORTLAND STONE.

    Um LIMESTONE de CORES FRIAS e ACINZENTADAS, que inspirou o nome do CIMENTO PORTLAND e está presente em GRANDES OBRAS de arquitetura ao redor do mundo: em Nova York, no prédio da ONU, em várias obras de Londres, inclusive na parte reconstruída após o incêndio de 1666 do Palácio de Buckingham, na Catedral de Saint Paul, entre outras.

    Essa pedra é o ponto de partida e a INSPIRAÇÃO desse projeto de DESIGN da PORTOBELLO.

    A partir do limestone, que se faz de concreto, a pedra foi redesenhada.

    Ora PEDRA, ora CONCRETO. Puro design. Para uso INTERNO e EXTERNO, Portland Stone é contemporâneo com tradição, é belo e ousado, é a pedra que faltava.

    Venha até a Aldeia e deixe-se encantar com a linha Portland Stone, da Portobello!

    Fonte: Portobello.

    (0) Comentar
  • Sustentabilidade

    Segunda-Feira, 08 de Agosto de 2016

    A cidade indonésia de Bandung, localizada a 150 km de Jacarta, ganhou uma biblioteca feita de potes de sorvete! Isso mesmo: a obra, que foi concluída em julho deste ano, utilizou 2.000 embalagens!

    A ideia partiu do arquiteto Florian Heinzelmann, que em viagem pelo país asiático, notou a falta de espaços públicos em muitas vilas. Mobilizou seu time na Shau, empresa de arquitetura do qual é sócio, e criou um espaço de 160 m² para crianças.

    O projeto inclui uma área livre no térreo e a biblioteca, que fica no primeiro andar. Na fachada há uma mensagem escondida: “buku adalah jendela dunia”. Ela foi produzida em código binário – sistema de numeração formado por apenas dois algarismos (0 e 1) e significa “livros são janelas para o mundo”.

    Os potes de sorvete foram usados para reduzir o montante de lixo, além de ser uma forma de despertar a atenção para o aumento de resíduos plásticos, que têm obstruído canais e poluído praias nos últimos anos.

    Por serem semitransparentes, os potes permitem a entrada da luz solar. A equipe descobriu ainda um benefício adicional no material: quando o fundo é retirado, a caixa permanece estável e pode ser usada no sistema de ventilação natural.

    Fixados em vigas de aço, os potes são colocados de forma a proteger o local da água da chuva. Para os dias de tempestades tropicais, há portas de correr translúcidas, que deixam a fachada impermeável.

    Foram investidos o equivalente a R$ 125 mil. A construção da biblioteca teve o suporte do conselho municipal e da ONG Dompet Dhuafa.

    Fonte: https://queminova.catracalivre.com.br

    (0) Comentar
  • Posts anteriores
  • Loja Goiânia

    (62) 3093 1717

    Newsletter

    Para receber as novidades da Aldeia, cadastre seu e-mail aqui: