• Geral

    Sábado, 21 de Março de 2015

    Após o sucesso do show “Mais que Dilmais”, que rodou por dezenas de cidades de todo o Brasil, Gustavo Mendes apresenta seu novo espetáculo “Um show com tudo dentro”.

    O show é fruto de uma questão: o que faz as pessoas gargalharem? Gustavo aproveitou as inúmeras viagens pelo país para questionar seu público sobre isso. Foram mais de 100 mil respostas, que passaram por uma triagem e se tornaram o que Gustavo considera seu melhor e mais engraçado show de humor. Gustavo Mendes reúne no palco as personagens que o consagraram, como a presidenta Dilma, além de textos afiadíssimos, piadas e músicas memoráveis.

     

    Informações Gerais

    Dia 21 de março de 2015

    Teatro Rio Vermelho (Rua 4, Setor Central)

    Horário: 19 h

    Valores: R$ 80,00 (Inteira) e R$ 40,00 (Meia)

    Informações: 61 3034-6560

    (0) Comentar
  • Geral

    Sexta-Feira, 20 de Março de 2015

    Quando foi criado, o CARRO era considerado a maior inovação do século e o item de desejo de todos. Hoje essa realidade mudou. Apesar de mais confortáveis, silenciosos e ágeis, os carros de hoje se tornaram um PROBLEMA em todo o mundo, pois com o AUMENTO da população e também da FROTA nas ruas, tornou-se praticamente IMPOSSÍVEL se locomover no dia a dia. Na busca pela solução dos problemas de MOBILIDADE URBANA, algumas cidades estão investindo em TRANSPORTES ALTERNATIVOS no intuito de se tornarem LIVRES de carros.

     

    Madri

    Algumas ruas e avenidas da cidade já foram BLOQUEADAS para tráfego de AUTOMÓVEIS, com o objetivo de manter as áreas apenas para CAMINHADAS. Dessa forma, apenas os residentes do bairro podem dirigir. Quem violar a lei pode ser multado, inclusive.

     

    Paris

    Com a POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA a níveis alarmantes, a cidade decidiu fazer um RODÍZIO: no centro da cidade, por exemplo, quem não mora nos bairros próximos não poderá dirigir aos finais de semana. A ideia é que até 2020 o número de CICLOVIAS na cidade dobre e os carros a diesel sejam proibidos.

     

    Chengdu

    A cidade localizada no sudoeste da China foi projetada para ANDAR A PÉ. O projeto deve ser concluído em 2020. A construção de vias foi realizada de modo a garantir que seja possível chegar a qualquer lugar andando, no máximo em 15 minutos.

     

    Hamburgo

    Para incentivar o uso de BICICLETAS e as CAMINHADAS, a cidade tem investido em uma “rede verde”, que deve ser concluída nos próximos 15 ou 20 anos. O sistema promete conectar parques em toda a cidade, permitindo o uso de bicicletas em qualquer lugar.

     

    Helsinque

    A cidade tem um projeto que vai transformar subúrbios dependentes do automóvel em comunidades ligadas ao centro da cidade através de TRANSPORTE PÚBLICO. Além disso, está em fase de teste um aplicativo que permite que os usuários acessem instantaneamente uma bicicleta, carro ou táxi compartilhado, ou encontrem o ônibus ou trem mais próximo.

     

    Milão

    Para incentivar o ABANDONO DO CARRO, a cidade disponibiliza vales-transporte gratuitamente para os passageiros que deixarem seus veículos em casa. O sistema funciona por meio de um computador no painel do carro que fica conectado à internet – quando o carro fica em casa, a cidade envia um voucher com o mesmo valor do bilhete de ônibus ou trem.

     

    Copenhague

    Desde 1960 a cidade investe em zonas de PEDESTRES e no uso de BICICLETAS. Atualmente, mais da metade da população utiliza os mais de 200 quilômetros de ciclovias para trabalhar todos os dias.

    (0) Comentar
  • Geral

    Sexta-Feira, 20 de Março de 2015

    A cada dia, mais e mais brasileiros, principalmente aqueles que vivem em grandes cidades, têm optado pela BICICLETA na hora de se deslocar em ruas e avenidas. Porém, o que é novo por aqui, já é um hábito de décadas na Europa e eles seguem inovando. A NOVIDADE agora é que será construída uma CICLOVIA com mais de 70 MIL QUILÔMETROS e passará por 43 PAÍSES. É a EUROVELO.

    Serão 14 ROTAS com TAMANHOS DIVERSIFICADOS e que poderão ser aproveitadas por CICLISTAS/TURISTAS que desejam percorrer grandes distâncias (entre um país e outro) e também por MORADORES de comunidades locais que poderão viajar entre cidades vizinhas. Outro ponto positivo é que cada trecho receberá um nome condizente à história ou às paisagens das regiões. Um bom exemplo é a rota 14 (maior de todas), que terá o nome de “Cortina de Ferro” e ligará 20 países, dentre eles, Rússia, Noruega, Bulgária, Turquia e Alemanha, fazendo alusão ao período da Guerra Fria.

    Quem tiver interesse em conhecer mais detalhes sobre a ciclovia, que será concluída até 2020, pode acessar o site da Federação Europeia de Ciclistas, onde é possível ver alguns trechos já prontos e ainda um mapa interativo de como ficará a ciclovia após sua conclusão.

    (0) Comentar
  • Geral

    Quinta-Feira, 19 de Março de 2015

    No universo da MODA, Resort é a coleção que é LANÇADA FORA do CALENDÁRIO OFICIAL, chegando nas FÉRIAS DE VERÃO no HEMISFÉRIO SUL com um espírito mais INFORMAL, LEVE e bastante DESPOJADO. Bem alinhada ao lifestyle de FÉRIAS e FESTAS, onde o espírito é sentir-se bem, a Coleção Resort vai da PASSARELA para a RUA, ou melhor, para a PRAIA, sem precisar da adaptação das peças de desfile.

    Inspirada nesse movimento, a PORTOBELLO concebeu RESORT, criada para levar a atmosfera ACONCHEGANTE e DESPRETENSIOSA para AMBIENTES CHARMOSOS, ACOLHEDORES e DESCONTRAÍDOS. FORMATOS IRREVERENTES e um mix de ESTAMPAS CONTEMPORÂNEAS garantem a PERSONALIDADE e a VIVACIDADE da proposta.

    Venha até a Aldeia e conheça mais sobre a Linha Resort!

    (0) Comentar
  • Geral

    Quarta-Feira, 18 de Março de 2015

    LUXUOSIDADE e FLUIDEZ nos desenhos são aspectos marcantes dos revestimentos da LINHA KYNÊS, uma das coleções presentes no catálogo 2015 da CASTELATTO. A SENSAÇÃO de MOVIMENTO, além de agregar DESTAQUE aos ambientes, também proporciona AMPLITUDE e REQUINTE.

    Inspirada na palavra grega Kinesis, que significa movimento, esta coleção vem agregar mais uma tendência ao rol de produtos da Castelatto, que aposta em uma composição SUNTUOSA, LEVE, de TRAÇOS CURVILÍNEOS – algo muito PRAZEROSO aos olhos.

    O aparente EFEITO VISUAL TRIDIMENSIONAL é impressionante! Peças lisas ou com linhas garantem a maior AMPLITUDE da parede, privilegiando um painel RICO EM CONCEITOS DE DESIGN. Uma proposta ATEMPORAL que se comunica com qualquer estilo, não importando a linguagem decorativa adotada.

    Os desenhos pedem o encontro casado das peças, o que determina um resultado cheio de DINAMISMO, elevando a sensação de movimento. Na medida 46 x 46 x 2,5 cm, o produto é apresentado nas cores chumbo, cinza, fendi, sépia, areia e branco.

    Venha até a Aldeia e deixe-se encantar com a Linha Kynês e todos os produtos Castelatto!

    (0) Comentar
  • Geral

    Terça-Feira, 17 de Março de 2015

    A NEOBAMBU, empresa que desde 2006 oferece produtos em bambu para substituir o uso da madeira em PISOS e REVESTIMENTOS, apresentou NOVIDADES e tendências em REVESTIMENTOS SUSTENTÁVEIS na 13ª edição EXPO REVESTIR 2015. A feira Internacional de revestimentos aconteceu entre os dias 3 e 6 de março, em São Paulo.

    A marca trouxe NOVAS ESTAMPARIAS, VOLUMES TRIDIMENSIONAIS em placas iluminadas e NOVO FORMATO em piso de bambu. O grande destaque é a opção de revestimentos para áreas externas e fachadas, nunca antes produzidos pela empresa.

     

    Maxibambu

    Seguindo as tendências internacionais dos GRANDES FORMATOS, a Neobambu inovou ao trazer para o Brasil réguas mais largas e alongadas. As fibras do bambu são fundidas em alta pressão o que o torna ideal para residências e áreas de alto tráfego. A cor castanha do produto o deixa ainda mais VERSÁTIL e os acabamentos matte e demolição imprimem mais OPÇÕES no uso.

     

    Neoteca

    Os decks de teca são ideais para ÁREAS INTERNAS e EXTERNAS. A novidade fica por conta do ACABAMENTO EMM VERNIZ 360, que garante proteção ao deck em todos os lados. Além disso, a Coleção Neoteca é DUPLA FACE, ou seja, pode ser utilizada tanto com o acabamento liso, quanto canelado. Disponível em quatro cores, é simples para instalar, pois é entregue com presilhas de plástico que se encaixam no acabamento ‘fêmea’ da peça e ainda aumenta a durabilidade do deck por não haver a necessidade de furar a madeira, evitando a oxidação do material.

     

    Neoprint

    A Coleção Neoprint ganha um novo desenho em 2015. Inspirada nas FORMAS GEOMÉTRICAS da arquitetura e arte brasileira, a Neobambu apresenta o Wind. Trabalhado em preto e cinza, o desenho pode ser impresso em réguas da coleção clássica, na Linha Maxibambu e nas folhas de bambu para mobiliário. A TINTA RESISTENTE possibilita o uso em locais de médio tráfego, assim como permite que o produto seja colocado em pisos residenciais.

     

    Walldesign

    VOLUMES e FORMAS trazem mais identidade para a arquitetura. Desenvolvidas com as folhas de bambu, as peças tridimensionais da Coleção Walldesign extravasam a arte de construir. As placas, que podem receber ILUMINAÇÃO interna, foram produzidas em peças que medem 30 X 30 cm de AÇO GALVANIZADO e revestidas de bambu.

    Venha até a Aldeia e conheça mais dos produtos Neobambu!

    (0) Comentar
  • Geral

    Segunda-Feira, 16 de Março de 2015

    Normalmente nosso olhar nos leva a uma visão micro do universo que nos cerca: pessoas, cruzamentos, faróis, a corrida vertiginosa das horas, o passo acelerado dos dias. Mas é muito interessante quando pudermos sair do lugar-comum e contemplarmos coisas que nos passam desapercebidamente. Como o chão, por exemplo. Certamente vamos nos surpreender com desenhos que, não fossem calçamentos, estariam na parede de algum museu. A calçada é, por excelência, um lugar de encontro; é importante que ali exista vida, fruição urbana. Para tanto, além de bonitas, precisam ser largas, generosas. Pelo mundo afora temos belos exemplos, desde praças de séculos idos até antigas vias férreas transformadas em jardins suspensos. Lugares para se deleitar!

     

    Praça dos Restauradores – Lisboa

    Entre os “artigos” de exportação de Portugal havia uma classe de trabalhadores especializada em fazer calçadas de pedras com desenhos requintados e uma técnica apuradíssima. Eram os calceteiros. Em Lisboa um espaço se destaca: a Praça dos Restauradores. Ali um obelisco de 30m foi erguido em 1886. Mas só em 1923 a praça nasceu ao seu redor, como esparramado calçamento exibindo o desenho do arquiteto e artista plástico João Abel Manta. Na capital portuguesa, é permitido pisar em obras de arte.

     

    Passeio Marítimo de Poniente, Benidorm – Espanha

    Quando uma cidade vive basicamente da renda proveniente do turismo é porque tem algo de muito especial. É o que acontece em Benidorm, que vem atraindo milhões de visitantes todos os anos tanto para suas praias da Costa Branca quanto para uma novidade: o Passeio Marítimo da Praia de Poniente. Como inspiração, os autores do espetáculo, Carlos Ferrater e Xavier Martí, do escritório OAB, de Barcelona, se valeram da natureza, de Gaudí e de Burle Marx. E assim construíram um passeio em que se vê o concreto branco ondulado sob uma superfície que muda de cor ao longo de sua extensão e um mobiliário urbano mimetizado nessa nova e bela paisagem.

     

    Canteiro central e calçadão de Copacabana – Rio de Janeiro

    No Rio, em 1970, o trabalho humano conseguiu ser tão extraordinário quanto a natureza ao redor, atraindo as pessoas para esse convívio. Com a duplicação e o alargamento das pistas da avenida Atlântica, Burle Marx criou no canteiro central um mosaico geométrico com basalto negro, vermelho e calcário branco. A obra abraçava o calçadão da orla, capaz de ser reconhecido até por um marciano. Feito no início do século 20 por calceteiros portugueses, ele ganhou curvas pronunciadas, sensuais e bem brasileiras.

     

    High Line – Nova York

    Quem vê esse passeio bucólico que se estende por quase 2,5km no Lower West Side, em Manhattan, nem imagina que ele começou numa batalha nos tribunais. Com a iminência de sua demolição, os moradores exigiam que se tornasse um espaço público. Venceram. A linha de trem, que havia funcionado entre 1934 e 1980, cedeu lugar a um corredor onde as pessoas se encontram, caminham, leem, fazem esculturas de neve no inverno e se bronzeiam no verão. O projeto leva assinatura famosa: Diller Scofidio + Renfro, além do paisagismo de James Corner. O High Line, inaugurado em 2009 e desdobrado no ano passado, também não esconde os dormentes que o ligam ao seu passado.

     

    Míconos – Grécia

    Além do mar e do alvo casario, é famoso em Míconos o calçamento de pedras formando mosaicos irregulares. Atração que fica ainda mais evidente na Vila de Chora, onde as buganvílias são presença constante, ao contrário dos carros, proibidos de circular pelas estreitíssimas ruelas, talvez uma resposta arquitetônica aos fortes ventos locais. De qualquer forma, o mosaico charmoso – ininterruptamente pintado para que o branco se mantenha branco, até mesmo no verão – conta com esse aliado para sua preservação: sobre ele, só leves e lentas passadas. Descoberta pelos jônios no século 11a.C., a ilha foi redescoberta por Jacqueline Onassis, que deixou atrás de si um rastro de jet-setters internacionais.

    (0) Comentar
  • Domingo, 15 de Março de 2015

    Empanada é um tipo de pastel assado mas que, embora menos usualmente, também pode ser frito. Geralmente comida com as mãos, é feita com massa de farinha de trigo, recheada com carne bem temperada e picante, guarnecida de outros ingredientes que variam de região para região.

    Com o passar do tempo a empanada ganhou novos recheios e hoje, como acontece com as pizzas, há empanadas de praticamente tudo – da carne de boi, de frango ou peixe ao milho (humita), hortaliças e queijo com cebola, entre outros. Uma das características que identifica uma boa empanada é a umidade do recheio.

    Apesar de ter cruzado o Atlântico com os colonizadores espanhóis, a empanada tornou-se um dos expoentes da gastronomia latino-americana, sendo preparada com receitas assemelhadas, em vários países, entre outros, Chile, Bolívia, Venezuela e Argentina.

    Mas é na Argentina que a iguaria reina absoluta. Verdadeira paixão nacional, a empanada compõe com o churrasco e o doce de leite a tríade mais famosa da culinária de “los hermanos” e também faz muito sucesso entre os brasileiros, já sendo encontrada em várias cidades do Brasil.

    Como levam as empanadas a sério, os argentinos têm alguns cuidados no preparo do seu mais tradicional recheio: a carne bovina. Desaconselham o uso da carne moída, porque seca rapidamente e requer mais gordura para o cozimento. Preferem o contrafilé. Cortam a peça em bifes, a seguir em finas tiras e depois picam a carne na ponta da faca. Muitos não dispensam a grasa de pella (ou a gordura de porco), sem a qual, acreditam, é impossível fazer uma autêntica empanada argentina.

    Especula-se que a origem da empanada remonte à antiga Pérsia e que de lá tenha sido levada para os países árabes, onde era preparada com carne de carneiro e trigo burgol. Essa iguaria, muito similar à empanada de hoje, era chamada de “esfiha” ou “fatayer”, e chegou à Península Ibérica nos farnéis de viagem dos conquistadores mouros em 711. Os sete séculos de ocupação árabe popularizaram o alimento em terras espanholas, e os conquistadores e colonizadores espanhóis que cruzaram o Atlântico e aportaram no Novo Continente trouxeram-na para a América.

    Pode ter sido assim, mas o que se imagina é que, em algum momento, buscando um alimento nutritivo, menos perecível e de fácil transporte, alguém tenha tido a ideia de abrir um pão ao meio, recheá-lo com alguma carne guisada e fechá-lo. Deu-se a isso o nome de comida “empanada”, ou seja, “dentro do pão”. Surgia o que viria a ser chamado de sanduíche e, quando uma mente mais pragmática resolveu assar o pão já com o recheio, surgiu a empanada. No continente sul-americano, a receita espalhou-se por toda a região andina e, na Argentina, cada província se apropriou dela para adaptá-la, enriquecê-la e reinventá-la!

    (0) Comentar
  • Geral

    Sábado, 14 de Março de 2015

    (Still Alice, EUA/França, Drama, 2014)

    De Richard Glatzer e Wash Westmoreland. Com Julianne Moore, Alec Baldwin, Kristen Stewart e outros.

    Adaptado do romance de Lisa Genova “Para Sempre Alice” (Ediouro), o longa-metragem homônimo conta a história da renomada linguista Alice Howland, bem casada e mãe de três filhos, que aos 50 anos começa a esquecer as palavras e logo descobre sofrer de Alzheimer de Instalação Precoce.

    O filme tem o mérito de não escolher a tragédia como ponto final, mas sim inicial: o Alzheimer serve de gatilho para a discussão de temas universais como a noção de identidade, a percepção do outro, a adaptação da família, o amor incondicional e valores que muitas vezes deixamos de questionar, como o dinheiro e o estudo.

    É certo continuar priorizando o trabalho diante da perda iminente de alguém? É certo, por outro lado, abandonar a rotina para esperar a evolução natural da doença? Como continuar sendo Alice, quando Alice não se reconhece mais?

    “Para Sempre Alice” consegue evitar o melodrama intrínseco das histórias de enfermidades e mostrar um outro lado da situação – mais verdadeiro e mais difícil. Porque encarar a mudança pode ser mais duro do que enfrentar a perda, mas, no processo, aprende-se que, mesmo sem a memória e sem a articulação que antes a definiam, a vítima de Alzheimer continua viva, continua humana e continua amando e sendo amada.

    Onde?

    Cine Lumière Bougainville (Leg): 14:25h, 19:05h.

    Cinemark Flamboyant Leg): 18:30h, 21h.

    (0) Comentar
  • Geral

    Sexta-Feira, 13 de Março de 2015

    Wood Casting é uma série de BANCOS, BANQUETAS e MESAS desenvolvida pela jovem designer israelense Hilla Shamia composta por peças que unem o aspecto orgânico da MADEIRA à aparência sólida e moderna do ALUMÍNIO.

    Fruto do projeto de pós-graduação de Shamia junto ao Departamento de Desenho Industrial da Holon Institute of Technology, a coleção foi criada a partir da FUSÃO do ALUMÍNIO DIRETAMENTE NA MADEIRA.

    A produção tem início quando TRONCOS de árvores locais são CORTADOS LONGITUDINALMENTE e INSEDIROS dentro de um MOLDE, que define a ESTRUTURA do mobiliário. O METAL LÍQUIDO é, então, VERTIDO sobre a MADEIRA, onde se SOLIFICA depois de PENETRAR em FENDAS e RACHADURAS.

    Realizado a temperaturas elevadas, o processo também gera CARVÃO, que deixa LINHAS NEGRAS no encontro dos dois materiais.

    Não é de hoje que designers procuram explorar a combinação do metal e da madeira. Mas a tecnologia desenvolvida em Israel chama a atenção pelo VALOR ESTÉTICO que advém da ALEATORIEDADE. Em função do seu processo de fabricação, NÃO HÁ como existir DUAS PEÇAS IGUAIS.

    (0) Comentar
  • Próximos posts
  • Posts anteriores
  • Loja Goiânia

    (62) 3093 1717

    Newsletter

    Para receber as novidades da Aldeia, cadastre seu e-mail aqui: