• Geral

    Terça-Feira, 07 de Abril de 2015

    Resgatando a HERANÇA CULTURAL acumulada em mais de 500 anos de DESIGN e de POÉTICA VISUAL brasileira, a OCA BRASIL, com a contribuição criativa da designer de superfícies Renata Rubim, dá vida à COLEÇÃO BRASILIANA, que utiliza como inspiração três períodos distintos de nossa história: TRIBAL, COLONIAL e MODERNISTA.

    Com MOTIVOS ÉTNICOS e GEOMÉTRICOS, a LINHA TRIBAL representa um PERÍODO PRÉ-COLONIZAÇÃO PORTUGUESA, aonde inúmeras tribos indígenas, cada uma com a sua cultura, dominavam o território nacional. A série apresenta três estampas diferentes, porém, com um mesmo estro.

    Avançando um pouco mais na história, a LINHA COLONIAL se refere ao tempo do BRASIL COLÔNIA, onde a INFLUÊNCIA PORTUGUESA ditava as regras em toda a sociedade. A grande inspiração para os revestimentos são os renomados AZULEJOS PORTUGUESES, com a sua riqueza de detalhes e vasta representatividade de formas geométricas e orgânicas.

    O MOVIMENTO MODERNISTA guia a terceira linha da coleção Brasiliana. Inspirada em Burle Marx, as ESTAMPAS são ABSTRATAS, com fortes traços do CONCRETISMO e do CONSTRUTIVISMO, formas que mudaram o jeito de o mundo ver as artes plásticas.

    LÍDER do mercado de REVESTIMENTOS NATURAIS em madeira certificada, a Oca Brasil concebeu a Coleção Brasiliana dentro do formato tradicional do LADRILHO PORTUGUÊS, com medidas de 20x20cm. Produzido em painel de eucalipto ou valchromat usinado, os revestimentos podem receber os mais diversos tratamentos de cor, como a laca alto-brilho ou fosca. Cada metro quadrado comporta 25 ladrilhos que contam, cada qual com sua estética e personalidade, um período histórico brasileiro.

    Venha até a Aldeia e conheça mais sobre os produtos da Oca Brasil!

    (0) Comentar
  • Geral

    Sábado, 28 de Fevereiro de 2015

    O olhar dos artistas Portinari e Di Cavalcanti sobre o Brasil, cada um em seu período de produção das obras, é a proposta da exposição Retratos da Brasilidade, que pode ser vista até o dia 10 de maio no Museu de Arte Brasileira da Faap (MAB-Faap). A mostra é gratuita e apresenta 70 obras, entre gravuras, pinturas, fotografias e esculturas de diversos períodos, tendências e técnicas.

    Capoeira, de Carybé

     

    O público terá acesso às gravuras de Johann Moritz Rugendas, com representação de cenas do século 19 no Brasil; à tela Caboclas Montadas, de Lasar Segall; à pintura Carnaval, de Di Cavalcanti, além de fotografias de Pierre Verger, retratando a cultura popular tradicional. O curador José Luis Hernández Alfonso explica que fez um levantamento de todas as obras do acervo do MMAB-Faap que tinham temáticas ligadas ao Brasil.

    Garimpeiro, de Portinari

     

    Para ele, a importância das obras para a memória e identidade brasileiras é que diversas formas de arte guardam esses temas que são tipicamente da cultura nacional, que vem do povo. Além disso, os artistas da exposição são representantes de diferentes momentos da arte do país e apresentam variadas tendências artísticas.

    Caboclas Montadas, de Lasar Segall

     

    Estão expostas ainda obras como o desenho Capoeira, de Carybé, a pintura naïf Festa de São João, de Aldir Sodré de Souza, e o desenho a carvão sobre papel Garimpeiro, de Cândido Portinari. Essa última foi incluída por ser uma obra muito significativa e pelo que representa dentro do modernismo brasileiro.

    (0) Comentar
Loja Goiânia

(62) 3093 1717

Newsletter

Para receber as novidades da Aldeia, cadastre seu e-mail aqui: