• Curiosidades

    Segunda-Feira, 16 de Julho de 2018

    O escritor David Farley, que é professor de escrita na faculdade NYU, visitou 50 opções de lugares — desde catacumbas, igrejas, cavernas e até parques de diversão localizados embaixo da terra, para montar um livro inédito!

    Livro explora os lugares subterrâneos mais lindos do mundo

     (Divulgação/David Farley)

    A obra Underground Worlds: A Guide to Spectacular Subterranean Places (U$27.99, Black Dog & Leventhal) explora os lugares subterrâneos mais bonitos do mundo e investiga a formação desses espaços e o que eles “escondem”, através de fotos e histórias cheias de curiosidades.

    Livro explora os lugares subterrâneos mais lindos do mundo

     (Reprodução/Thinkstock)

    (Reprodução/Damanhur)

    Bunk'Art, Tirana na Albânia

    Bunk'Art, Tirana na Albânia (Reprodução/Bunk’Art)

    No geral, é uma mistura de paisagens naturais, como os túneis aquáticos de 2500 anos no Irã, com a maravilhas do mundo moderno, como os “Templos da Humanidade”na Itália.

    Cisterna da Basílica, Istambul

    Cisterna da Basílica, Istambul (Reprodução/Thinkstock)

    Restaurante Grotta Palazze

    Restaurante Grotta Palazze (Reprodução/Ristorante Grotta Palazzese)

     

     

    (0) Comentar
  • Sustentabilidade

    Terça-Feira, 10 de Julho de 2018

    Com o avanço da Lei 6299/02, ou ‘PL do Veneno’, os brasileiros viram a importância de não consumir alimentos com toneladas de agrotóxicos - . As versões orgânicas também estão encontrando dificuldades nas leis nacionais, já que existe outro projeto de lei que quer proibir a venda de alimentos orgânicos fora das grandes redes de supermercado. Para tentar diminuir os efeitos nocivos dos componentes dos agrotóxicos no corpo (muitos deles são cancerígenos), a saída mais eficaz é ter a própria horta em casa, que além de ser mais saudável para o corpo, tem menos impacto no mundo, portanto, sendo também sustentável. Contudo, muitas dúvidas surgem ao pensar na horta dentro de casa, por isso, listamos 8 dicas básicas para que você acerte de primeira na horta da sua casa.

     

    1. Escolha um lugar bastante ensolarado
    8 dicas para a sua horta dar certo de primeira (Foto: Reprodução)

    Uma horta precisa de no mínimo quatro horas de sol por dia para se manter saudável . Se a sua cozinha não tem essa incidência de luz, por mais charmoso e prático que pareça ter os temperos ao lado do fogão, você terá que achar um novo local para seus vasinhos.

     

    2. Dê espaço para que elas cresçam
    8 dicas para a sua horta dar certo de primeira (Foto: Reprodução)

    Muitas vezes as mudas de ervas são vendidas em charmosos vasinho, mas isso não quer dizer que é ali que elas devem ficar para o resto de suas vidas. Para que cresçam saudáveis as ervas precisam de um vaso com no mínimo 15 cm de profundidade.

     

    3. Fique atento à drenagem
    8 dicas para a sua horta dar certo de primeira (Foto: Reprodução)

    Para que a água não fique acumulada e a sua muda termine afogada, é preciso preparar o terreno. O vaso  (ou recipiente que for usado) deve, necessariamente, ter um furo em baixo para que a água escorra - se for uma lata, por exemplo, basta fazer um furinho com um prego. Além disso, a primeira camada precisa ser preenchida com pedras e areia. Só depois vem a terra e a planta.

     

    4.Veja quais ervas combinam entre si
    8 dicas para a sua horta dar certo de primeira (Foto: Reprodução)

    Nem todas as ervas vão compartilhar uma mesma jardineira de forma pacifica. Além de checar se elas demandam os mesmos cuidados quanto a iluminação, terra e rega, vale pesquisar um pouco sobre o comportamento da planta. A hortelã, por exemplo, é super espaçosa e por isso o mais recomendado é plantá-la em um vaso separado.

     

    5. Cuidado com a quantidade de água
    8 dicas para a sua horta dar certo de primeira (Foto: Reprodução)

    É  mais comum que os marinheiros de primeira viagem matem suas hortas afogadas do que secas. As regras para regar uma planta mudam completamente de acordo com o ambiente que ela está. Tipo de vaso, temperatura, presença de vento, tudo isso influência. Por isso, o ideal é colocar a mão na terra e sentir se ela está úmida ou não. Se a superfície está seca, mas a terra está molhada mais em baixo, não é preciso regar.

     

    6. Não esqueça de adubar
    8 dicas para a sua horta dar certo de primeira (Foto: Reprodução)

    Além do adubo colocado na hora de plantar a muda no vaso ou na jardineira, é preciso continuar adubando a horta uma vez a cada 2 meses - pelo menos. Só assim a terra permanece fértil para que as mudas cresçam saudáveis.

     

    7. Pode sem medo 
    8 dicas para a sua horta dar certo de primeira (Foto: Reprodução)


    Não é incomum que as pessoas se apeguem as suas plantas e acabem tendo medo de podar as folhas secas ou os galhos doentes, o que no fim pode acabar prejudicando a sua plantação. O manjericão por exemplo, precisa ser bastante podado e até suas flores devem ser retiradas, caso contrário sua haste fica muito longa e fraca.

     

    8. Colha com cuidado
    8 dicas para a sua horta dar certo de primeira (Foto: Reprodução)

    Arrancar com a mão apenas as folinhas que você vai usar para a próxima receita pode parecer prático, mas não é nada recomendável. Na hora de colher os itens de sua horta, o ideal é cortar um ramo, incluindo os cabinhos, com uma boa tesoura. Assim você evita abalar a estrutura da planta e deixa as condições favoráveis para que nasçam novos brotos.

     

    Via: Casa Vogue

    (0) Comentar
  • Redes Sociais

    Segunda-Feira, 26 de Fevereiro de 2018

    Mais uma semana que se inicia e para colocar uma dose extra de cor e doçura na sua, trazemos um pouco do trabalho da confeiteira canadense @mellyeatsworld, que já soma mais de 100 mil seguidores com os macarons mais fofinhos que já vimos!

    (0) Comentar
  • Decoração

    Terça-Feira, 19 de Dezembro de 2017

    Já estamos na semana do Natal, mas sua casa ainda não entrou no clima? A Aldeia separou algumas ideias para você decorar os ambientes com a tendência natalina que está invadindo as casas americanas! 

    Esqueça as tradicionais bolas coloridas, guirlandas pomposas e árvores super equipadas: a decoração de Natal em 2017 promete ser totalmente minimalista e natural nas casas americanas, segundo a rede social, Pinterest. A busca pelo termo “naked greenery” (que em tradução livre significa “vegetação crua”), aumentou cerca de 379% no site, o que indica uma mudança significativa no planejamento dos americanos para as festas de final de ano.

    O que isso quer dizer? As composições prometem conquistar pela simplicidade! As coroas de flores, decorações de mesa e até mesmo as árvores de Natal estarão menos enfeitadas neste ano, deixando o verde e o natural prevalecer no décor natalino. O fenômeno alinha-se às duas principais tendências de decoração de 2017: o hygge e o farmhouse, que buscam o minimalismo e a reaproximação da natureza. Veja, inspire-se com ambientes natalinos que seguem a tendência do “naked greenery“ e comece a dar uma cara festiva ao seu lar.

    Com paleta clara e poucos itens, estas composições são temáticas, porém discretas – são fáceis de fazer, entram no âmbito do ‘faça você mesmo’, e perfeitas para quem prefere um décor mais simples!

     

    (0) Comentar
  • Dica

    Segunda-Feira, 27 de Novembro de 2017

    Está pensando em reformar? Sabia que respeitar algumas etapas reduz as chances de colocar a paciência – e o investimento – em risco? Então acompanhe essas dicas para o quebra-quebra ser bem sucedido!

     

    1. Projeto bem definido: A primeira tarefa é listar o que precisa ser feito. “Sem planejamento, o custo de uma reforma é infinito”, alerta Mariane Carneiro da Cunha, sócia da AH!SIM, empresa especializada no tema. Derrubar paredes, redistribuir pontos de água e luz e até reservar espaço para um futuro ar-condicionado – tudo deve acontecer nesse momento sob a orientação de um arquiteto. 

     

    2. Orçamento planejado: decididas as intervenções de layout, chega a hora de escolher materiais e acabamentos. Uma boa pesquisa fará diferença na conta final, pois mora aqui a melhor oportunidade de encontrar brechas para os ajustes financeiros. Aprimoramentos básicos despendem, em média, entre 10% e 15% do valor do imóvel; já uma alteração maior consome em torno de 25%. Marcenaria continua a parte mais cara. 

     

    3. Cronograma realista: conciliar o tempo dos profissionais exige jogo de cintura. Não adianta nada o gesseiro e o pintor começarem uma etapa sem que o eletricista e o encanador tenham encerrado suas funções. De novo, conte com a ajuda de um arquiteto para encadear essa sequência de acordo com os serviços contratados e deixe uma margem para imprevistos. Estes sempre acontecem!

     

    4. Supervisão da execução: entregar as chaves ao empreiteiro e só voltar no fim da obra é o pior erro possível. Organize encontros periódicos com o arquiteto responsável e peça a presença de todos os envolvidos para sincronizar os trabalhos. Dessa forma, se algo estiver fora do combinado, há tempo de reparar o que for necessário sem tanto desgaste, considerando os recursos financeiros disponíveis. 

     

    5. Vistoria antes de entrar: teste tudo. Abra torneiras, verifique se os climatizadores funcionam bem, veja se os pontos de luz emitem eletricidade e cheque o acabamento da pintura, a altura das portas e a colocação dos revestimentos. É essencial fazer uma geral no imóvel antes de dar como concluída a empreitada. Questione os profissionais sobre as garantias e prepare a mudança. 

     

    É essencial fazer uma geral no imóvel antes de dar como concluída a empreitada!

     

    Fonte: www.arquiteturaeconstrucao.abril.com.br

    (0) Comentar
  • Dica

    Sexta-Feira, 17 de Fevereiro de 2017

    Aos entusiastas da arquitetura, a aclamada Harvard tem uma notícia que fará de 2017 uma oportunidade incrível. Isso porque a universidade americana abriu um curso online de arquitetura sem custos para falar da importância da atividade como expressão cultural, para além da realização técnica.

    O “The Architectural Imagination” será ministrado por Antoine Picon, Erika Naginski, K. Michael Hays e Lisa Haber-Thomson, e faz parte da parceria acadêmica online, fundada em 2012, entre Harvard e o MIT.

    Assim como descrito no próprio programa da universidade americana, a “arquitetura é uma das práticas culturais mais complexas e tem como forma de expressão o material e as suas possíveis formas”. Ao longo dos 10 módulos, os mestres abordarão os exemplos mais importantes da história da arquitetura e como esses se tornaram fonte de engajamento sociocultural.

    A primeira parte do “The Architectural Imagination” trará aos alunos a ideia da arquitetura como imaginação, como aptidão que media a experiência sensorial e a compreensão conceitual. Já a segunda parte será mais focada no auxílio que a tecnologia propõe tanto para a realização dos projetos quanto para o seu entendimento.

    Com início no dia 28 de fevereiro, o curso de 10 semanas, com esforço pessoal de 3 a 5 horas para cada atividade, não tem custo para a participação, apenas para a garantia do certificado (por US$ 99). Não deixe de se inscrever no The Architectural Imagination e bons estudos!

    Fonte: http://casavogue.globo.com

    (0) Comentar
  • Dica

    Sábado, 28 de Janeiro de 2017

    Quem mora em Goiânia normalmente se prende aos mesmos passeios pela cidade e acaba deixando de conhecer lugares maravilhosos que existem por aqui. Um deles é o Jardim Botânico que, apesar de ter sido fundado em 1978, acabou sendo esquecido.

    Muitas pessoas deixaram de passear pelo local por considerá-lo perigoso e sem estrutura. No entanto, sabendo do potencial do Botânico, a prefeitura tomou frente e revitalizou o Jardim, que agora conta com pista de caminhada, um lago e até um borboletário.

    Todas as condições necessárias para receber os visitantes foram reorganizadas e apresentadas em um parque lindo e cheio de natureza.

    O Botânico é a maior unidade de conservação de Goiânia (1.000.000 metros quadrados), e abriga um remanescente de área fechada de mata, com espécies nativas do cerrado e animais silvestres.

    Já que se trata de uma unidade de conservação, é importante ressaltar que é proibido alimentar os animais e jogar lixo nas dependências.

    O acesso ao parque é livre durante o dia e à noite, e não tem taxa de entrada. Que tal marcar com os amigos pra explorar a cidade e reunir a turma em um piquenique delicioso?

    Fonte: http://curtamais.com.br

    (0) Comentar
  • Dica

    Domingo, 01 de Janeiro de 2017

    Se você é da turma que gosta de pedalar, caminhar, cuidar da saúde e ainda tem curiosidade em conhecer o traçado do Autódromo Internacional de Goiânia, terá uma boa chance para unir o útil ao agradável.

    Com o final das disputas de automobilismo, o uso da pista do autódromo foi liberado ao público no último dia 20 de dezembro.

    Quem quiser aproveitar o circuito para fazer atividades de lazer ou treinamentos terá espaço livre durante todos os dias da semana, das 5h às 22h.

    A principal praça esportiva do automobilismo goiano possui 3.820 metros de extensão. O local conta ainda com estacionamento para visitantes e equipe de segurança.

    Fonte: http://www.opopular.com.br

     

    (0) Comentar
  • Dica

    Domingo, 05 de Junho de 2016

    Delicadas, as taças de vinho precisam de alguns cuidados extras quando o assunto é limpeza. A lavagem correta é imprescindível para que a bebida exale suas propriedades originais, sem alterar o sabor, e, claro, para causar boa impressão à mesa.

    Especialistas no assunto ensinam como limpar, secar e guardar taças de vinho do jeito certo. Aprenda a tirar marcas de dedo, a quantidade certa de detergente e outras dicas importantes para deixá-las sempre brilhando!

    Lavar

    Os recipientes, sejam eles de vidro ou cristal, devem ser lavados em uma solução com água quente, que ajuda a soltar mais facilmente a gordura. O ideal é enxaguar bastante até limpar. Mas, caso deseje, adicione um pouco de detergente neutro na seguinte proporção: 1 colher de sopa a cada 2 litros. É o suficiente para lavar cerca de 12 taças. Só não exagere no produto, para evitar resíduos que interferem no sabor.

    Escolha esponjas macias, de material sintético (no mercado, inclusive, existem opções específicas para limpeza de taças). Caso deseje usar a lava-louças, certifique-se antes da compra que o recipiente permite tal processo e se o eletrodoméstico possui uma função para peças delicadas. Utilize um líquido secante abrilhantador junto com o detergente da máquina. Esse produto faz com que a taça seque bem sem deixar manchas de resíduos.

    Secar

    Existem tapetes próprios para secagem, feitos de poliéster, de aproximadamente 40x40cm. Basta apoiar as taças sobre ele de ponta cabeça e depois invertê-las. Outra opção é utilizar um pano – melhor os de microfibra, que não soltam pelos – ou papel toalha sem cheiro.

    As taças de cristal ou vidro soprado podem secar ao natural sem problemas. Mas as mais simples podem acumular manchas com o tempo, devido ao calcário presente na água.

    Armazenar

    A organização vai depender da quantidade de espaço disponível e do número de taças. Quem tem uma quantidade variada em casa, pode separá-las por modelos, deixando uma fileira para cada tipo. A dica é deixar na parte mais baixa do armário aquelas utilizadas com maior frequência.

    Caso falte espaço, existem caixas próprias para armazená-las, vendidas em lojas de organização. Elas possuem divisórias acolchoadas e são ótimas também para quem usa pouco ou precisa transportá-las. Outra opção são os suportes fixáveis em prateleiras, que permitem deixá-las suspensas e liberar o espaço abaixo.

    Imagens: Reprodução.

    (0) Comentar
  • Cinema

    Sábado, 29 de Agosto de 2015

    (Que horas ela volta?, drama, Brasil, 2015)

    De Anna Muylaert. Com: Antônio Abujamra, Camila Márdila, Helena Albergaria, Karine Teles, Lourenço Mutarelli, Luis Miranda, Michel Joelsas, Regina Casé, Theo Werneck e outros.

    A relação entre empregadas e seus patrões e entre elas e as crianças que acabam criando enquanto os pais trabalham fora, estão no centro das discussões no cinema mundial: “Que Horas Ela Volta?”, de Anna Muylaert, coloca o dedo nesta ferida.

    No longa premiado nos festivais de Berlim e Sundance, Regina Casé vive a empregada Val, que trabalha para uma família paulistana há mais de dez anos e, apesar de morar com os patrões, eles nunca se interessaram em saber muito sobre ela.

    Val é mais próxima do menino Fabinho, que confia nela para guardar segredos, mas nem mesmo ele parece querer conhecer melhor aquela figura pernambucana.

    Essa relação superficial se rompe quando Val anuncia que sua filha Jéssica, com quem não se encontra há anos, está indo a São Paulo para prestar o vestibular. Sem casa própria, a empregada é obrigada a trazê-la para a casa dos patrões, pelo menos até as provas acabarem.

    A hospedagem fria, mas revestida de falsidade, evolui aos poucos para uma hostilidade aberta entre a dona da casa Bárbara e a visitante Jéssica, que se revolta com a situação de servidão da mãe.

    “Que Horas Ela Volta?” expande a discussão para temas como maternidade e família, tomando o cuidado de manter um tom bem-humorado durante a maior parte do filme.

    Imagens: Divulgação

    (0) Comentar
  • Posts anteriores
  • Loja Goiânia

    (62) 3093 1717

    Newsletter

    Para receber as novidades da Aldeia, cadastre seu e-mail aqui: