• Arquitetura

    Quinta-Feira, 19 de Maio de 2016

    Marcando a abertura do evento “University’s New Life Sciences”, os jardins da Universidade de Bristol, na Inglaterra, ganharam recentemente uma obra de arte pública que representa a história da evolução do planeta.

    Criada pela artista Katie Paterson, com a colaboração dos arquitetos Zeller & Moye, o projeto Hollow é um espaço de meditação criado com amostras de 10 mil espécies de árvores, algumas delas com milhões de anos.

    É o resultado de uma pesquisa de três anos, que acabou formando uma das maiores coleções de espécies de árvores já vistas no Reino Unido, construída graças à generosidade de viveiros e colecionadores do mundo todo.

    A fachada assimétrica reflete as diferentes alturas das árvores, representando a diversidade de uma floresta.

    Ao entrar, é como se o visitante estivesse dentro da mata em miniatura, sentido o clima quente e denso e experimentando a monumental coleção de árvores ao seu redor.

    Logo acima, algumas aberturas no teto deixam a luz entrar, imitando como os raios de sol atravessam folhas e galhos.

    As amostras de madeira narram a história humana e do meio ambiente em todo mundo, com espécies de vários lugares, como a figueira indiana sob a qual Buda alcançou a iluminação, e a árvore de ginkgo, em Hiroshima, que sobreviveu a um dos episódios mais tristes da história.

    Algumas são incrivelmente raras, como fósseis de árvores como o cedro do Líbano, palma Phoenix e a methuselah, uma das mais antigas do mundo.

    Imagens: Max McClure / Divulgação.

    (0) Comentar
Loja Goiânia

(62) 3093 1717

Newsletter

Para receber as novidades da Aldeia, cadastre seu e-mail aqui: