• Decoração

    Sexta-Feira, 22 de Dezembro de 2017

    Quando o assunto é decorar a casa com plantas, as possibilidades são infinitas! No mundo em que falta tempo para cuidar das plantas e se multiplicam apartamentos pequenos e varandas integradas, nem sempre sobra espaço para ter aquele jardim dos sonhos. Os minijardins são ideais para quem tem pouco tempo para cuidar das plantas, não ocupam muito espaço e são ótimas opções de arranjos com estilo descontraído para decorar o centro da mesa de jantar ou uma área externa da casa! Além de tudo isso, eles são encantadores e fáceis de fazer. Veja como:

     

    Para começar, escolha qualquer recipiente de vidro transparente e mãos a obra!

     

    1º passo 

    Colocar uma camada de argila expandida no fundo do terrário. A argila funciona como um filtro para escoar o excesso de água, assim a terra fica úmida na medida certa para sua plantinha. A dica é não empilhar pedrinhas, assim podemos trabalhar com a maior quantidade de terra possível, dando mais espaço para as raízes crescerem.

    (Edu Leporo Fotografia/AccorHotels)

     

    2º passo

    Acrescentar uma camada de areia, não muito grossa, em cima da argila expandida. Pode ser areia de demolição mesmo. Aqui não podemos usar areia que vem da praia, já que ela pode desequilibrar o pH do seu terrário. Essa camada de areia serve para manter a terra no lugar.

    (Edu Leporo Fotografia/AccorHotels)

     

     

    3º passo

     

    Esse é o momento de colocar a terra. Escolhemos um tipo de terra para vaso bem leve e fofa. É legal tentar colocar o substrato até, no máximo, o meio do recipiente que você escolheu, assim as plantinhas não vão ultrapassar o limite do terrário quando crescerem.

    (Edu Leporo Fotografia/AccorHotels)

     

     

    4º passo

     

    Fazer um pequeno buraquinho na terra onde você pretende colocar suas plantinhas e misturar um punhadinho de adubo orgânico. Esse adubo vai ajudar suas plantinhas a crescerem saudáveis.

     

     

    (Edu Leporo Fotografia/AccorHotels)

     

     

    5º passo

     

    Chegou a hora de colocar sua mudinha no terrário! Escolhemos a fittonia, uma planta ornamental que não precisa de sol direto para viver, e pode ficar à meia-sombra tranquilamente.

     

    (Edu Leporo Fotografia/AccorHotels)

     

     

    6º passo

     

    Essa é a parte final e mais divertida: decorar o terrário. Aqui você pode soltar sua imaginação. Nesse caso, nós usamos cascalhos, folhas de musgo e cascas de pinus.

    (Edu Leporo Fotografia/AccorHotels)

     

    (Edu Leporo Fotografia/AccorHotels)

     

    Fonte: Casa Cláudia

     

     

     

     

    (0) Comentar
  • Paisagismo

    Segunda-Feira, 24 de Abril de 2017

    É incrível a habilidade dos japoneses para criar esculturas e formas maravilhosas com as plantas. Existe um termo novo para isso, o chamado “arbotecture”, que seria a combinação das palavras 'arquitetura' e ‘natureza’ em inglês. 

    No Japão, é possível apreciar esta técnica no lindo Jardim Kawachi Fuji, em Kitakyushu, localizado a seis horas de Tóquio. O jardim conta com mais de 150 plantas de 20 espécies diferentes. 

    A principal atração deste jardim, são os dois túneis repleto de lindas flores, que possuem aproximadamente 20 metros de altura, 10 metros de largura e 100 metros de comprimento. Sua configuração é garantida por uma estrutura de metal que modela o formato da planta trepadeira. 

    Por meio dos túneis, os visitantes caminham e contemplam o encantador céu carregado de glicínias, uma flor conhecida como flor da ternura, com cores variando entre o roxo escuro e o branco. 

    A melhor época para conhecer o Jardim Kawachi Fuji é entre o final de abril e o começo de maio, pois é a época em que as glicínias estão floridas ao máximo. O jardim é particular e a taxa de entrada varia de 5 a 15 reais, dependendo da estação e da floração. 

    Fonte: http://www.mdig.com.br

     

    (0) Comentar
  • Dica

    Sábado, 28 de Janeiro de 2017

    Quem mora em Goiânia normalmente se prende aos mesmos passeios pela cidade e acaba deixando de conhecer lugares maravilhosos que existem por aqui. Um deles é o Jardim Botânico que, apesar de ter sido fundado em 1978, acabou sendo esquecido.

    Muitas pessoas deixaram de passear pelo local por considerá-lo perigoso e sem estrutura. No entanto, sabendo do potencial do Botânico, a prefeitura tomou frente e revitalizou o Jardim, que agora conta com pista de caminhada, um lago e até um borboletário.

    Todas as condições necessárias para receber os visitantes foram reorganizadas e apresentadas em um parque lindo e cheio de natureza.

    O Botânico é a maior unidade de conservação de Goiânia (1.000.000 metros quadrados), e abriga um remanescente de área fechada de mata, com espécies nativas do cerrado e animais silvestres.

    Já que se trata de uma unidade de conservação, é importante ressaltar que é proibido alimentar os animais e jogar lixo nas dependências.

    O acesso ao parque é livre durante o dia e à noite, e não tem taxa de entrada. Que tal marcar com os amigos pra explorar a cidade e reunir a turma em um piquenique delicioso?

    Fonte: http://curtamais.com.br

    (0) Comentar
  • Paisagismo

    Sexta-Feira, 14 de Outubro de 2016

    Pensando na alegria dos sobrinhos e dos futuros filhos, os proprietários de uma casa em São Paulo pediram ao engenheiro agrônomo e paisagista Ricardo Pessuto uma área de lazer para os pequenos. O problema é que boa parte do quintal já era ocupada pela piscina e por árvores catalogadas pelo condomínio, que não poderiam ser remanejadas.

    Para aproveitar melhor o espaço, foi criada uma estrutura suspensa que lembrasse uma casa na árvore, com um desenho orgânico e formas arredondadas para dar um toque moderno.

    O profissional planejou uma escada de cordas, um recorte na cobertura da casinha para observar a copa das árvores, um escorregador lateral e um tanque de areia na parte inferior, além de um espaço para canteiros. As áreas de circulação foram demarcadas com pisos drenantes.

    Os adultos também não ficaram de fora do projeto: foi pensada uma prainha com espreguiçadeiras à beira da piscina e uma área com sofá sob a sombra das árvores.

    Como o muro lateral não poderia ser pintado, Ricardo revestiu parte dele com ripas de cumaru e criou um jardim vertical com samambaias, lambaris, peperômias, cipó-uva e barbas-de-serpente.

    Neste painel de madeira foi instalado um chuveirão, que ficou camuflado em meio às espécies, e elevou um pouco o deque naquela área para conseguir embutir a cascata, que traz um barulho de água bem agradável.

    Fonte: http://revistacasaejardim.globo.com

    (0) Comentar
  • Casa Cor

    Quarta-Feira, 25 de Maio de 2016

    Em sua quarta edição na Casa Cor Goiás, João Paulo Florentino cuidou do Jardim dos Jasmins, espaço com 104 metros quadrados.

    O arquiteto e paisagista mostra a mágica da arquitetura da flora em geral por meio de uma espécie bastante conhecida por sua forma poética e beleza escultórica: o jasmim.

    O ambiente destaca a importância de buscar a proximidade com a natureza em meio aos espaços construídos e comprova o conjunto de sensações benéficas proporcionadas pela presença do verde.

    No traçado do jardim aplicaram-se dois estilos distintos: a topiaria, que molda a vegetação em formatos geométricos, e a sucessão natural, que permite à natureza revelar-se de forma espontânea, diminuindo as interferências humanas no ambiente e a necessidade de manutenção.

    O pergolado metálico, criado especialmente para o ambiente, protege e traz sombra para a área de estar, criando uma atmosfera acolhedora de varanda.

    Uma grande novidade é a utilização do teto verde vegetado na cobertura, que cria uma estratégia de sustentabilidade, capaz de fornecer melhoria no conforto térmico no interior das construções e ainda transformar coberturas em espaços habitáveis.

    Em meio a todo o ambiente, um espelho d'água se distribui junto à vegetação, criando volumes e movimentos. No Jardim dos Jasmins ele foi utilizado revestido em pedras naturais e resina, formando tanques em diferentes profundidades.

    Produtos Aldeia presentes neste ambiente: Porcelanato Ibirapuera Mix Ext 20x120 Portobello; Seixos Soltos Tigrados Palimanan; Argamassa e Rejunte Portokoll.

    Imagens: Gesley Brasil.

    (0) Comentar
  • Geral

    Segunda-Feira, 22 de Junho de 2015

    Com a assinatura de JOÃO PAULO FLORENTINO, a composição do ambiente de 63 metros quadrados foi inspirada na brasilidade do paisagismo nacional, revelada no início da década de 1960 por Roberto Burle Marx. Além disso, a rica flora brasileira serviu de ponto de partida para a criação de um espaço com formas, texturas e cores exuberantes.

    Nesse sentido, o projeto apresenta três linhas de linguagem básicas. A primeira é a vegetação, em que foram combinadas plantas de clima tropical com diferentes tipos de folhagens e colorações vibrantes.

    A segunda é a dos materiais inertes, em que a escolha dos REVESTIMENTOS e PISOS foi pensada de forma a imprimir características de RUSTICIDADE e HETEROGENEIDADE ao ambiente. Para tanto, optou-se pelo piso TOSCANA GREZZO MERCURE, da CASTELATTO, e o piso HITAM LAVA PRETA, da PALIMANAN.

    Por último há a linguagem dos mobiliários e da iluminação, cujos materiais refletem o clima rústico, até rural, do ambiente.

    Fotos: Munir Al Rubaie

    (0) Comentar
  • Geral

    Quarta-Feira, 06 de Maio de 2015

    Enquanto a Casa Cor Goiás 2015 não começa, continuamos de olho no making of dos ambientes!

     

    Jardim, assinado por João Paulo Florentino.

    A Casa Cor Goiás 2015 acontecerá do dia 15 de maio até 24 de junho, na Rua Mário Bittar, nº 181, Setor Marista, em Goiânia - uma antiga residência tradicional da Capital.

    Aguardem!

    (0) Comentar
  • Geral

    Sábado, 18 de Abril de 2015

    Colorir sempre foi uma atividade muito divertida no universo das crianças. São inúmeros personagens, histórias inusitadas que envolvem a todos! E por que não trazer esse prazer para os adultos? Com esse pensamento, editoras da Europa lançaram livros de colorir para adultos, com conteúdo um pouco mais complexo.

    No Brasil os títulos disponíveis já chamam atenção pela quantidade e pela infinidade de estilos. O livro mais comentado se chama “Jardim Secreto”, da autora escocesa Johanna Basford, e é predominantemente em preto e branco, todo feito à mão.

    A razão, segundo a ilustradora em seu blog, é que ela acredita que desenhos assim captam mais a energia do artista do que aqueles criados com o auxílio de programas de computador.

    Mas a onda dos livros de colorir parece ter contagiado o mundo todo. Em países como a França eles já são mais vendidos do que a literatura gastronômica, conforme dados divulgados pela editora Michael O’Mara.

    O intuito dos livros é possibilitar que você fuja do estresse durante a interação: enquanto colore e procura por animais escondidos, por exemplo, você relaxa e ainda relembra os tradicionais livros de colorir!

    (0) Comentar
  • Geral

    Sexta-Feira, 26 de Setembro de 2014

    Jardins verticais são como um oásis em alguns casos, um pouco de verde onde quase não há mais espaço para ele. Além de embelezar os ambientes e de trazer originalidade, os jardins verticais ajudam a diminuir os efeitos da emissão de gás carbônico presente na atmosfera.

    Também são capazes de diminuir a temperatura do ambiente. Nas casas, por exemplo, ajudam até na economia de energia elétrica, pois diminuem o uso de equipamentos eletrônicos para controle de temperatura.

    Para proporcionar todas essas vantagens e encher o dia de alegria, os jardins verticais necessitam de alguns cuidados especiais, principalmente com o sistema de irrigação, que deve ser semanal ou diário dependendo de cada caso, e drenagem dos vasinhos, também existe o cuidado com a terra e os adubos. No inverno, especialmente, vale a pena utilizar produto orgânicos para cuidar das plantas.

    (0) Comentar
Loja Goiânia

(62) 3093 1717

Newsletter

Para receber as novidades da Aldeia, cadastre seu e-mail aqui: