• Viagem

    Quarta-Feira, 25 de Julho de 2018

    Para quem busca ter uma experiência artística em Miami o Miami Design District, perto de Downtown, é o destino certo. O bairro está em alta e é uma excelente opção para fugir do tradicional roteiro de compras e praias na cidade. Por ali, o roteiro é dedicado às artes, arquitetura, moda e design e o novo Museum Garage prova que até um típico estacionamento americano pode se transformar em obra de arte.

    Museum Garage (Foto: Divulgação).

    Foto: Divulgação

    Com capacidade para 800 carros e sete andares, o prédio teve intervenções de cinco escritórios de arquitetura - WORKac, J.Mayer H, Clavel Arquictetos, Nicolas Buffe e K/R -, cada um de um lugar do mundo, que criaram suas interpretações sem brifieng específico, a exemplo dos Cadavre Exquis, que, no auge do surrealismo, juntava imagens díspares, que não necessariamente conversavam umas com as outras, mas criavam uma lógica única, um flow.

    Museum Garage (Foto: Divulgação)

    Foto: Divulgação

    Batizada de Urban Jam, a fachada dos espanhóis da Clavel Arquictetos é inspirada no renascimento da vida urbana no Miami Design District, onde antigas estruturas e espaços descartados passaram por um processo de revitalização, e traz 45 carros vintage, revestidos de prata e dourado, que desafiam a gravidade.

    Museum Garage (Foto: Divulgação)

    Foto: Divulgação

    Já em Serious Play, que serve de entrada e saída para a garagem, Nicolas Buffe, artista francês que vive no Japão, usou uma série de elementos 3D criados a partir de metais cortados a laser e plásticos de resina de fibra para dar vida à composição que mistura referências de videogames, anime e mangás à arquitetura rococó e barroca.

    Museum Garage (Foto: Divulgação)

    Foto: Divulgação

    Barricades, projeto do K/R, com sede em NY e Miami, está mais a oeste na 41st Street, em frente ao Instituto de Arte Contemporânea. Nele, temos a reinterpretação das barreiras de trânsito com listras brancas e laranjas, comuns na cidade, que foram usadas viradas para a direita, formando uma tela colorida com 15 janelas. 

    Museum Garage (Foto: Divulgação)

    Foto: Divulgação

    Por fim, a fachada Ant Farm, da WORKac, ecoa uma colônia de formigas e celebra a interação social. Os espaços de conexões aparecem e desaparecem atrás de uma tela de proteção de metal perfurada. 

     

     

    (0) Comentar
  • Geral

    Segunda-Feira, 24 de Agosto de 2015

    (0) Comentar
  • Geral

    Sexta-Feira, 27 de Março de 2015

    Em 26 de março Miami Beach completou 100 anos! A cidade tem uma história não muito antiga, mas bem movimentada. Situada num longo banco de areia a leste de Miami e entre o Atlântico e a Biscayne Bay, Miami Beach inicialmente era quase desabitada, o solo ocupado por plantações de coqueiros e abacate – lugar onde moradores e visitantes de Miami passar o dia na praia.

    Rapidamente, empresários viram o atrativo de lazer da área à beira-mar, com clima ameno e águas cristalinas, e o potencial de se transformar em um balneário para os americanos ansiosos por escapar dos rigores do inverno.

    Assim, em 1915, mesmo ano em que o povoado virou oficialmente uma cidade, inaugurou-se o Hotel Brown, na Ocean Drive, dando início ao que se tornou a lucrativa indústria hoteleira que até hoje atrai investidores e é o principal fator de desenvolvimento para a economia da cidade.

    Em 1926, um furacão arrasou com muitos desses hotéis, abrindo caminho nos anos 1930 para um novo estilo de arquitetura que teria papel definitivo e relevante na imagem e história da cidade: foi a era do art déco, prédios e hotéis organizados em composições de volumes básicos, geometria clean, dinâmica, com elegantes elementos decorativos e inspiração de motivos náuticos. O estilo seguia a tendência da época, vinda de Nova York, mas Miami Beach desenvolveu uma versão toda própria, adicionando motivos tropicais e espaços mais iluminados.

    Mais tarde, o arquiteto modernista Morris Lapidus deu origem a um outro movimento também ligado ao espírito aventureiro de Miami Beach. Com ousadia geométrica moderna (com um sabor das curvas de Niemeyer) e toques historicistas kitsch, criou um ambiente de fantasia e luxo para o Hotel Fountainebleau.

    Outros projetos no mesmo estilo se seguiram. E a maneira livre que Lapidus brincava com os volumes e linhas influenciou o trabalho de outros arquitetos, dando origem a um estilo conhecido como Miami Modern (ou MiMo).

    No final dos anos 1970, passando por uma fase de declínio, e com alta criminalidade, vários edifícios dos tempos áureos do período art déco corriam risco de serem demolidos, mas graças a uma campanha grande parte de South Beach conseguiu ser protegida com a designação de patrimônio histórico.

    Aos poucos, muitos ganharam vida nova, pintados em cores vibrantes e com novos inquilinos, lojas vintage, cafés descolados e nightclubs atraindo uma nova geração a curtir Miami Beach.

    Hoje o desenvolvimento da cidade parece assegurado, com uma população local crescente e eventos anuais de prestígio, trazendo sempre novos visitantes, e garantindo que a área continuará sendo um grande destino para um archi-tour muito original.

    (0) Comentar
  • Geral

    Sexta-Feira, 07 de Novembro de 2014

    Na cidade mais conhecida da Flórida, a sofisticação criada para milionários brasileiros e de outros países latino-americanos ainda não encontrou limites. Um exemplo disso é o edifício de apartamentos The Edge on Brickell, que será lançado em dezembro.

    Com unidades custando entre US$ 650 mil e US$ 4 milhões, a construção ostentará o painel de vidro com luz própria mais alto do mundo.

     

    Criado pelo artista Jan Hendrix, o mural de vidro de 182,8 m envolve boa parte dos 58 andares do prédio. Um painel menor, com 43 m de altura, envolve a base do arranha-céu. O holandês ainda está desenhando as duas obras, que devem trazer padrões lembrando nervuras de folhas e inspirados em suas obras.

    Os arquitetos mexicanos Rafael Aragonés e Daniel Orozco, do escritório Aragonés Architecture, desenvolveram o projeto do edifício. A torre de 192 m de altura terá 130 apartamentos. As unidades medem de 122 m² a 422 m², caso das duas coberturas duplex.

    Janelas do piso ao teto e varandas amplas oferecem vistas para o Rio Miami, a Baía de Biscayne e o horizonte da cidade.

    Localizada no bairro de Brickell, a torre ficará próxima aos centros de arte e entretenimento, além de bares e restaurantes badalados.

    Quem quiser ficar em casa poderá aproveitar o condomínio, que terá píer privativo para iates e piscina com vista panorâmica no 14º andar, sauna, sala de massagem e um restaurante exclusivo no térreo. Acesso por biometria e vigilância 24 horas prometem tranquilidade e segurança.

    A empresa Cervera Real Estate começará a comercializar as unidades em dezembro. A construção do prédio deve iniciar no início de 2015 e ser concluída em meados de 2017.

    (0) Comentar
Loja Goiânia

(62) 3093 1717

Newsletter

Para receber as novidades da Aldeia, cadastre seu e-mail aqui: