• Decoração

    Segunda-Feira, 09 de Abril de 2018

    Em parceria com a Punto e Filo o arquiteto Antonio Ferreira Junior criou uma linha de tapetes com elementos gráficos e geométricos que servem para decorar paredes e pisos. São três tapeçarias de parede e onze modelos geométricos de tapetes com forte referência das décadas de 1960 e 1970.

    As estampas da coleção Aqquarius nasceram de telas pintadas pelo arquiteto, que descobriu e desenvolveu suas habilidades para as artes com seu mentor, o designer Alfredo Barbosa de Oliveira, que há anos esteve à frente das criações da marca de tapetes. “Comecei a pintar por causa das influências do Alfredo e posso dizer que ganhei uma nova ferramenta de trabalho, algo que eu nem sabia que existia, foi inspirador”, conta Antonio.

    A geometria das peças permitem diferentes combinações e dão uma sensação de tridimensionalidade. A paleta de cores é vibrante e quente, com variações de mostarda, laranja, verde, azul e magenta. As composições podem dar muito mais estilo e personalidade a um ambiente. Além disso, outra aposta desta coleção, foi resgatar a tapeçaria de parede como protagonista de um espaço, com status de obra de arte. O trabalho artesanal da Punto e Filo e a assinatura de um arquiteto com tino para as artes adiciona ainda mais valor às peças.

    (0) Comentar
  • Geral

    Segunda-Feira, 29 de Dezembro de 2014

     

    As paisagens que desfilam pelas janelas dos aviões sempre foram um bem-vindo passatempo para o pequeno holandês Florian Pusher. Quando cresceu e se tornou designer, a fascinação pela variedade de cores, padronagens e texturas que só podem ser vistas lá de cima o acompanhou.

    Mas o que mudou é que, em uma oportuna conversa depois do trabalho, ele descobriu como transformar seu fruto de admiração em produto. Assim nasceu a linha de tapetes Landcarpet.

    Pusher trabalhava em uma firma de decoração e foi incumbido de buscar amostras de tapetes. Quando questionou o vendedor sobre a possibilidade de projetos customizados, a resposta que escutou foi como uma epifania: "Tudo é possível."

    Depois de passar um fim de semana reunindo todas as fotografias aéreas que havia feito, o designer separou aquelas que o lembravam mais a vista europeia e colocou a mão na massa. Traçou os principais padrões, simplificou e, em seguida, escolheu cores e espessuras diferentes para cada parte, assim como um campo colhido parece mais baixo que outro de cultura madura. Semanas depois tinha seu primeiro Landcarpet.

    Enquanto as condições naturais da África inspiraram um tapete caótico de tons terrosos, as lembranças das plantações de flores na Holanda geraram um exemplar multicolorido. A agricultura industrializada dos Estados Unidos foi transformada em uma maxiestampa rígida e a megalópole Hong Kong tornou-se um aglomerado de cinzas e azuis.

    Entre peças únicas e séries limitadas – e alguns prêmios de design, Pusher continua testando novas texturas e procurando diferentes padronagens. E a coleção de tapetes que funciona quase como uma experiência sociológica não deve parar de crescer.

    (0) Comentar
Loja Goiânia

(62) 3093 1717

Newsletter

Para receber as novidades da Aldeia, cadastre seu e-mail aqui: