• Paisagismo

    Sexta-Feira, 19 de Agosto de 2016
    Um jardim por um fio!

    Kokedama é uma antiga técnica japonesa de cultivo na qual não utilizamos nenhum tipo de vaso ou jardineira. Etimologicamente, “koke” significa musgo e “dama” quer dizer bola. Trata-se, portanto, de uma planta cultivada em uma bola de musgo.

    Possui alguma semelhança com a técnica de cultivo dos bonsais já que ambas retêm uma pequena porção de terra. Mas diferentemente destes, os cuidados das kokedamas são muito mais simples. Elas encantam qualquer espaço e o melhor de tudo, não existem duas iguais.

    O interessante de se cultivar as kokedamas não é somente devido à sua funcionalidade de cultivo, mas também a sua estética; elas fornecem a alegria e a harmonia do verde tanto dentro como fora de casa.

    As kokedamas aceitam tanto plantas de interior como as de exterior. Mas para que durem bastante tempo, escolha as espécies para interior, que não precisam da luz direta do sol. Também é muito importante que as plantas escolhidas tenham um crescimento lento, caso contrário elas rapidamente ocuparão todo o substrato e as raízes acabarão saindo para o exterior.

    Mas vamos às espécies: podemos utilizar samambaias, líquens, plantas florais, suculentas, silvestres, aromáticas, pequenas árvores etc.

    O primeiro passo é misturar os substratos: 3 partes de turfa e 1 parte de akadama (especial para bonsais). Umedeça a mistura com água e forme uma bola de um tamanho adequado para o tamanho da planta. Essa bola servirá de suporte para as raízes e fornecerá nutrientes.

    Em seguida faça um buraco em seu interior para introduzir a planta, pressione bem e cubra a bola com o musgo. O mais apropriado é o musgo sphagnum (utilizado para jardins verticais), capaz de reter 20 vezes seu peso em água.

    Com um fio ou corda vá dando voltas na bola e fazendo pequenos nós para que o suporte seja mais estável. É interessante escolher um fio fino de algodão da mesma cor que o musgo para que fique menos visível. Ou também podemos fazer o efeito contrário: trabalhando com contrastes, prenda o musgo com uma corda grossa de uma cor chamativa que choque com o verde do musgo.

    Por último mergulhe a bola em água morna até que deixe de soltar bolhas. Quando isso acontecer, simplesmente deve tirá-la e permitir que escorra bem.

    Pronto! Viram como é simples?

    Fonte: http://www.monicacipelli.com.br

     

    Comentários

    • Não há comentários para esta postagem.

    Deixe seu comentário, sobre esta matéria.

    (0) Comentarios
Loja Goiânia

(62) 3093 1717

Newsletter

Para receber as novidades da Aldeia, cadastre seu e-mail aqui: