• Design

    Quarta-Feira, 31 de Janeiro de 2018
    Vencedores do Prêmio de Design 2017

    Anualmente, o Museu de Design de Londres, o Design Museum, realiza o Beazley Designs of the Year, prêmio que reconhece os trabalhos de design que se destacaram em seis vertentes: arquitetura, digital, moda, gráfico, produto e transporte. Para além do belo, o prêmio reconhece candidatos que, ao longo do ano, dialogaram com questões político-sociais e trouxeram para o centro do debate assuntos importantes, princípio que fez com que muitos trabalhos sobre a crise dos refugiados e o empoderamento feminino se destacassem entre os finalistas da última edição.

    Em 2017, os 62 finalistas foram revelados em agosto e ficaram expostos no museu neste mês de janeiro. No último dia 18, foram revelados os grandes vencedores da competição, que você conhece abaixo.

     

    The National Museum of African American History and CultureX

    O Museu Nacional de História e Cultura Afro-Americana, em Washington, nos Estados Unidos, venceu na categoria Arquitetura. Mais do que isso: também conquistou a categoria geral, sendo coroado como o grande vencedor de 2017. O reconhecimento não é por acaso. Depois de décadas de trabalhos para criar um espaço em comemoração à história dos afro-americanos, campanha que remete aos veteranos negros que lutaram há mais de 100 anos durante a Guerra Civil, o Museu finalmente foi aberto e conta a história desse povo, apresentando documentos, personagens, artesanatos e obras de arte desse povo.


    Terras fraturadas: revista do New York Times

    Quem venceu a categoria de design gráfico foi uma edição especial da revista do The New York Times, dedicada aos últimos dez anos no Oriente Médio. Com projeto gráfico do diretor de arte Matt Willey, a edição não continha anúncios e possuía 40 mil palavras distribuídas ao longo de um design austero, com tipografia monocromática e ícones arrojados, que remetia à dureza dos fatos narrados em cada uma das dezenas de páginas.


    Air-ink: a tinta feita a partir da poluição

    A categoria produto sempre tem trabalhos de impressionar e, nesta edição, não foi diferente. Quem venceu foi a Air-ink, a primeira tinta comercialmente disponível feita a partir da poluição do ar. Funciona assim. Um filtro acoplado a um escapamento dos carros filtra as partículas poluentes do ar e que enegrecem ruas, paredes e até os nossos pulmões. Com um processo químico, então, esses resíduos são usados como pigmento para desenvolver tintas.

     

    Nike Pro Hijab

    Design, esporte e empoderamento feminino aliados ao multiculturalismo. O Nike Pro Hijab foi um trabalho desenvolvido pela equipe de Nike em parceria com uma série de artistas para criar um hijab elástico de uma camada, que fosse mais confortável para as esportistas mulçumanas competirem em diversas modalidades esportivas. O trabalho foi premiado na categoria moda.

     

    Scewo

    Finalmente, quem venceu na categoria transporte foi o Scewo, uma cadeira de rodas que vem com um dispositivo acoplado e que permite ao usuário subir e descer com mais facilidade escadas. Isso graças a faixas de borracha retráteis. Na parte traseira, há um par extra de rodas que o usuário pode levantar para conversar melhor, olho no olho, com um não-cadeirante.

     

    Fonte: Casa Vogue

     

    Comentários

    • Não há comentários para esta postagem.

    Deixe seu comentário, sobre esta matéria.

    (0) Comentarios
Loja Goiânia

(62) 3093 1717

Newsletter

Para receber as novidades da Aldeia, cadastre seu e-mail aqui: